A BANALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NO DIREITO

Etiene Maria Bosco Breviglieri, Juão Ozilo Silva Ferreira Ozilo Silva Ferreira

Resumo


 

 

O presente artigo aponta importantes correlações entre Direito e Literatura em especial, para demonstrar como em ambas as áreas ocorreu historicamente uma banalização das relações humanas. Enquanto no Direito se encontra o conteúdo normativo atrelado ao sistema judiciário, na literatura em diversas formas os autores apontam as relações entre o homem e o direito apontando diversas problemáticas, dentre elas a banalização das relações humanas e o descaso com as ações do homem pelo sistema judiciário demonstrando uma distância entre sociedade e justiça.


Palavras-chave


Literatura; Direito; Relações Humanas; Judiciário.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Sérgio. Os aprendizes do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo: antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. Tradução de Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

BARROS, Marco Antônio Loschiavo Leme de. Autoengano e a representação do direito em A morte de Ivan Ilitch. In: XXII Congresso Nacional de Pesquisa e Pós Graduação em Direito. São Paulo: Direito, Arte e Literatura, 2013. p. 97-110.

BASTOS, Aurélio Wonder. O ensino jurídico no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris,2000.

BITTAR, Carlos Eduardo Bianca. Educação e metodologia para os direitos humanos. São Paulo: Quantier Latin, 2008.

BRAGHETTA, Daniela de Andrade. Tributação no Comércio Eletrônico à Luz da Teoria Comunicacional do Direito. São Paulo: Quartier Latin, 2003.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Direito. Resolução CNE/CES n.9, de 29 de setembro de 2004.

BREVIGLIERI, Etiene Maria Bosco; CASTRO, Cristina Veloso de. Direito e literatura: desdobramentos da teoria da linguagem e exploração do signo. Disponível em: http://www.diritto.it/docs/32086-direito-e-literatura-desdobramentos-da-teoria-da-linguagem-e-da-explora-o-do-signo. Acesso em jul. 2016.

CARVALHO, Paulo de Barros. Poesia e Direito – O Legislador como Poeta: anotações ao pensamento de Flusser. In. HARET, Florence & CARNEIRO, Jerson (orgs). Vilém Flusser e Juristas: comemoração dos 25 anos do grupo de estudos de Paulo de Barros Carvalho. São Paulo: Noeses, 2009.

DOWBOR, Ladislau. A atualidade brutal de Hannah Arendt. Disponível em: http://jornalggn.com.br/noticia/a-atualidade-brutal-de-hannah-arendt-por-ladislau-dowbor. Acesso em maio de 2016.

DURAN, Angela Aparecida da Cruz. A ideia do humanismo no ensino jurídico brasileiro, Dissertação de Mestrado. UNESP, 2004

______, Angela Aparecida da Cruz. Educação em Direitos Humanos e Direitos Indígenas: desenvolvimento e diversidade em Mato Grosso do Sul. Tese de Doutorado. USP, 2013.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

KRÜGER, Frederico Marcos. Ensino Jurídico: Evolução e adequação curricular do curso jurídico. Rio Grande: Âmbito Jurídico, 2010. Disponível em: Acesso em 01 de Junho de 2014

LAFER, Celso. A reconstrução dos direito humanos: um diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. 7. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MONTORO, André Franco. Introdução á Ciência do Direito. 21. ed. São Paulo: RT, 2000.

MURARO, Célia Cristina. Ensino Jurídico: A formação do professor de direito. Rio Grande: Âmbito Jurídico, 2010. Disponível em: Acesso em 01 de Junho de 2014.

OLIVEIRA JÚNIOR, José Alcebíades de. Bobbio e a filosofia dos juristas. Porto Alegre: Sérgio Fabris, 1994.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. 2ª ed., São Paulo: Perspectiva, 1995.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Lingüística Geral. 15 ed. São Paulo: Cultrix, 1989, p.119.

TOLSTOI, Leão. A morte de Ivan Ilitch. Tradução de Carlos Lacerda. Rio de Janeiro: Lacerda Ed., 1997.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL. Direito/Paranaíba: Apresentação. Paranaíba, 2014. Disponível em: http://www.uems.br/portal/indexcurso. php?C=55. Acesso em 01 de Junho de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Argumenta Journal Law

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil