O PRINCÍPIO DO MELHOR INTRESESSE DA CRIANÇA E A APLICAÇÃO EQUIVOCADA DA GUARDA COMPARTILHADA COMO ALTERNADA

Artenira da Silva e Silva, Gabriella Sousa da Silva Barbosa

Resumo


Propõe-se diferenciar as modalidades de guarda compartilhada e alternada, através de revisão de literatura e ainda demonstrar o que pensam e como se sentem 38 crianças e adolescentes que vivenciam a guarda compartilhada, equivocadamente determinada em modalidade alternada, submetidas a entrevistas semiestruturadas, fazendo uso da análise de conteúdo das entrevistas e por fim avaliando que protagonismo eles tiveram ou não  no curso dos processos de determinação de guarda,  litigiosos e ou provenientes de acordos entre os pais e sentenciados entre dezembro de 2014 e julho de 2016, logo, após a guarda compartilhada tornar-se regra no ordenamento jurídico brasileiro.


Palavras-chave


Criança; Adolescente; Guarda compartilhada; Guarda alternada; Princípio da autonomia

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Leonardo Barreto Moreira. A guarda compartilhada e a Lei nº 11.698/2008. Ministério Público do Estado de Minas Gerais, 2009. Disponível em: < https://aplicacao.mpmg.mp.br/xmlui/handle/123456789/81 >. Acesso em: 1 de maio de 2017.

ALVES, Mariza Santos Pereira. A proteção constitucional do princípio da autonomia da vontade. Monografia para aprovação no Programa de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Privado do Instituto Brasiliense de Direito Público – IDP. Brasília, 2007.

BARBOSA, Claudia Maria. O Processo de Legitimação do Poder Judiciário Brasileiro. XV Encontro Nacional CONPEDI, Manaus, 2006.

BEE, Helen. A criança em desenvolvimento. 9ª Ed. Porto Alegre. Artmed, 2003.

BOAS, Ana Luísa Pereira Vilas. A autonomia da vontade do menor em caso de intervenção médica. Dissertação de Mestrado em Direito Privado apresentada à Universidade Católica Portuguesa, Porto, 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa de 1988

_____. Lei nº 8.069/1990, Estatuto da Criança e do Adolescente. Promulgada em 13 de julho de 1990.

______. Lei nº 10.406/2002. Institui o Código Civil. Promulgada em 11 de janeiro de 2002.

______. Lei nº 11.698/2008. Altera os arts. 1.583 e 1.584 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 – Código Civil, para instituir e disciplinar a guarda compartilhada. Promulgada em 16 de junho de 2008.

BRITO, Leila Maria Torraca de. Guarda Conjunta: conceitos, preconceitos e prática no consenso e no litígio. In: PEREIRA, Rodrigo da Cunha (org.). Afeto, ética, família e o novo Código Civil brasileiro: anais do IV Congresso Brasileiro de Direito de Família, 2004, p. 355-367.

CARBONARA, Silvana Maria. Guarda dos Filhos na família constitucionalizada. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 2000.

CNJ – CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. CNJ Serviço: Saiba como funciona a carreira de magistrado. Disponível em: < http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/82067-cnj-servico-saiba-como-funciona-a-carreira-de-magistrado >. Acesso em: 30 de abril de 2017.

DIAS, Maria Berenice. Manual de Direito das Famílias. 3ª ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.

______. Guarda Compartilhada – uma novidade bem-vinda!. 2008a. Disponível em: . Acesso em: 30 de abril de 2017.

______. Guarda Compartilhada. Revista jurídica Connsulex. Brasília, DF: Consulex, v.12, n.275, 30 jun., 2008b.

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro – Direito de Família. São Paulo: Saraiva, 2012.

JÚNIOR, Eloy Pereira Lemos; SILVA, Fátima Cristina da. Teoria da Modernidade Líquida – Fluidez Social e os Novos Desafios das Leis para solução dos vários novos conflitos no Direito de Família. Quaestio Iuris, vol. 9, n. 2, Rio de Janeiro, 2016, p. 911-941.

LOPES, José Reinaldo de Lima. O direito na história: lições introdutórias. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MATOS, Delmo; RAMOS, Edith; VELOSO, Roberto. Entre a autonomia da vontade kantiana e o princípio da autonomia de Beauchamp e Childress: uma discussão acerca da autonomia e da dignidade humana na bioética e no direito. Revista Perspectiva Filosófica, vol. 42, n. 1, 2015, p. 35-53.

MEIRELLES, Delton R.S.. Formação do Magistrado e Legitimidade Judicial: o caso das escolas de magistratura. VII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IV Encontro Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, São José dos Campos, 2001, p. 1596-1600.

MORAES, Patrícia Regina de et al. O ensino jurídico no Brasil. São Paulo: União das Instituições de Serviços, Ensino e Pesquisa LTDA (UNISEPE), 2014.

MOSSINI, Daniela Emmerich de Souza. Ensino Jurídico: história, currículo e interdisciplinaridade. Tese de Doutorado em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

PAULA, Bruna Souza; CAÚLA, Bleine Queiróz. Autonomia da vontade da criança sob a ótica dos direitos fundamentais – o direito ao livre desenvolvimento da personalidade. XXII Encontro Nacional do CONPEDI, Curitiba, 2013, p. 415-439.

SANTA ROSA, Bárbara; CORTE-REAL, Francisco; VIEIRA, Duarte Nuno. O respeito pela Autonomia da Criança na Regulação das Responsabilidades Parentais. Revista Científica da Ordem dos Médicos, ano 6, vol. 26, 2013, p. 637-643.

SAUAIA, Artenira da Silva e Silva; CARVALHO, Márcia Haydée Porto de; VIANA, Lucian da Silva. Expectativas dos Jurisdicionados em relação à atuação dos magistrados nas varas de família: conciliação em foco. In: CHAI, Cássius Guimarães (org.); BAHIA, Alexandre Gustavo de Melo Franco et al. (coord.). Mediação familiar, infância, idoso e gênero. Rio de Janeiro: Global Mediation, 2014, p. 150-163.

SOARES, Fernanda Heloisa Macedo; MASSINI, Maiara Cristina Lima. Crise do Ensino Jurídico Brasileiro. Programa de Mestrado em Ciência Jurídica UENP, n. 12, 2010, p. 54-74.

STRECK, Lênio Luiz. Hermenêutica e Ensino Jurídico em Terrae Brasilis. Revista da Faculdade de Direito UFPR, vol. 46, n. 0, 2007, p. 27-50.

TARTUCE, Flávio. Manual de Direito Civil. São Paulo: Método, 2011.

VELLY, Ana Maria Frota. Guarda Compartilhada: uma nova realidade para pais e filhos. IBDFAM, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Argumenta Journal Law

 A Revista Argumenta está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:
DOAJ DRJILivre! Proquest EBSCO  DIADORIM IBICT LAINDEX

 

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil