DIREITOS HUMANOS UNIVERSAIS? UM ESTUDO SOBRE O DIREITO À LIBERDADE DE PENSAMENTO A PARTIR DO CASO KIMIGAYO

Iuri Bolesina, Tássia Gervasoni

Resumo


Este trabalho, a partir do estudo do caso Kimigayo, em controvérsia envolvendo a liberdade de pensamento de um servidor público no Japão, investigará os sentidos postos e possíveis para a universalidade dos direitos humanos. Para tanto, (I) é preciso reconstruir o caso Kimigayo, desde os fatos que motivaram o conflito até o julgamento e seus efeitos; (II) examinar o direito à liberdade de pensamento contemporaneamente, focando, em especial, nas suas implicações à identidade pessoal e suas peculiaridades no que diz respeito ao servidor público; para, finalmente, responder ao problema proposto (III): em que sentido(s) pode-se falar em direitos humanos universais?


Palavras-chave


direitos humanos; Kimigayo; liberdade de pensamento; universalidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGRA, Walber de Moura. Curso de Direito Constitucional. 6. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

ALFARO, Norman José Solórzano. Derecho moderno e inversión ideológica: una mirada desde los derechos humanos. In: RÚBIO, David Sánches; FLORES, Joaquín Herrera;

CARVALHO, Salo de (Orgs). Novos pressupostos para a temática de direitos humanos. 2. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010, p. 30-54.

ARENDT, Hannah. Eichmman em Jerusalém: Um relato sobre a banalidade do mal. Tradução: José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

BARRETTO, Vicente de Paulo. O fetiche dos direitos humanos e outros temas. Rio de Janeiro: Lumen Juris. 2010.

BARTHET, Elise. L’excision bientôt interdite en Somalie? In: Le Monde - Afrique. 2016. Disponível em: . Acesso em: abr. 2016.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

BOLZAN DE MORAIS, Jose Luis. As crises do Estado e da Constituição e a transformação espaço-temporal dos direitos humanos. 2. ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. In: Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 37, p. 45-56, Apr. 2008.

CAPELLA, Juan Ramón. Los ciudadanos siervos. Madrid: Trotta, S.A., 1993.

CARVALHO, Kildare Gonçalves. Direito constitucional: teoria do estado e da constituição : direito constitucional positivo. 16. ed. Belo Horizonte: Del Rey, 2010.

CARVALHO, Salo de. Antimanual de criminologia. 5.ed. São Paulo, Saraiva, 2013.

CONSTITUTE. The world’s Constitutions to read, search, and compare. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2016.

COUTINHO, Simone Andréa Barcelos. Liberdade de manifestação do pensamento do servidor público. In: BRANCO, Paulo Gustavo Gonet (Org.) A liberdade de expressão na jurisprudência do STF. Brasília: IDP, 2012.

DESERET NEWS. Suicide spurs debate over Japan’s flag, anthem. 1999, p. 10 – Salt Lake City, Utah. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

DIAS, Felipe da Veiga. Liberdade de imprensa e informação versus direito à privacidade e à imagem: um olhar hermenêutico constitucional na perspectiva democrática. 2011. 140 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Santa Cruz do Sul, 2011.

DOUZINAS, Costas. O Fim dos Direitos Humanos. São Leopoldo: Unisinos, 2009.

EL PAIS. Evolución del número de funcionarios en España. 2015. Disponível em: . Acesso em: abr. 2016.

FERRAJOLI, Luigi. Sobre los derechos fundamentales y sus garantías. 2006. Disponível em: . Acesso em: abr. 2016.

______. Democracia y garantismo. Edición de Miguel Carbonell. Madrid: Trotta, 2008.

FLORES, Joaquim Herrera. La reinvención de los derechos humanos. Andalucía: Atrapasueños, 2008.

______. Los Derechos Humanos en el Contexto de la Globalización: Tres precisiones conceptuales; In: RUBIO, David Sánchez; FLORES, Joaquim Herrera; Carvalho, Salo de (orgs.). Direitos humanos e globalização: fundamentos e possibilidades desde a teoria crítica. 2. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

______. Teoria crítica dos direitos humanos: os direitos humanos como produtos culturais. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2009.

FOUCAULT, Michel. Michel Foucault, uma entrevista: sexo, poder e a política da identidade. In: Verve, 5, pp. 260-277, 2004

FREITAS, Luiz Fernando Calil de. Direitos fundamentais: limites e restrições. Porto Alegre: Liv. do Advogado, 2007.

FUJITA, Akiko. Japanese teachers balk at Anthem that glorifies emperor. 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

GALLARDO, Hélio. Teoria Crítica: Matriz e possibilidade de direitos humanos. São Paulo: Unesp, 2014.

GRUBBA, Leilane Serratine. O problema do essencialismo no Direito: inerentismo e universalismo como pressupostos das teorias que sustentam o discurso das Nações Unidas sobre os direitos humanos. 283 p. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas. Programa de Pós-Graduação em Direito, Florianópolis, 2015.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 15. ed. Petrópolis: Vozes, pp. 104-133, 2014.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Tradução de Marcia Sá Cavalcante Schuback. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

HELD, David; McGREW, Anthony. Prós e contras da globalização. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

HINKELAMMERT, Franz. La rebelión en la tierra y la rebelión en el cielo: el ser humano como sujeto. In: RUBIO, David Sánchez; FLORES, Joaquim Herrera; Carvalho, Salo de (orgs.). Anuário ibero-americano de direitos humanos (2001/2002). Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2002.

HUDSON JR. David L. Balancing act: public employees and free speech. In: First Reports (First Amendment Center), n. 2, v. 3, dez. 2002.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística). Pesquisa de Informações Básicas Estaduais – ESTADIC (2012). 2012. Disponível em: . Acesso em: abr. 2016.

JAPÃO. Constituição do Japão. 1946. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

JAPÃO. SJC (Supreme Justice Court). Processo 2004 (Gyo-Tsu) 328. 2007 Relator: Kohei Nasu. Julgado em: 27 de fevereiro de 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

JULIOS-CAMPUZANO, Alfonso de. Os desafios da globalização: modernidade, cidadania e direitos humanos. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2008.

JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de Direito Administrativo. São Paulo: Saraiva, 2005.

LEWIS, Anthony. Freedom for the thought that we hate: a biography of the first amendment. New York: Basic Books, 2009.

LOPES, Ana Maria D’Ávila. Interculturalidade e direitos fundamentais culturais. Revista de Direito Constitucional e Internacional. n. 63, ano 16, Abr-Jun, 2008.

LUCAS, Doglas Cesar. Direitos humanos e interculturalidade: um diálogo entre a igualdade e a diferença. Ijuí: Unijuí, 2010.

LUCAS, Douglas Cesar. Apresentação. In: RESTA, Eligio. Percursos da identidade: uma abordagem jusfilosófica. Ijuí: Unijuí, p. 9-19, 2014.

MARINO, Laure. Droit de la propriété intellectuelle. Paris: PUF, 2013.

MARMELSTEIN, George. Curso de direitos fundamentais. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2013.

MATSUI, Shigenori. Freedom of expression in Japan. In: Osaka University Law Review, n. 38:13, pp. 13-42, 1991.

MURDOCH, Jim. Freedom of thought, conscience and religion: a guide to the implementation of Article 9 of the European Convention on Human Rights. Belgium: Directorate General of Human Rights and Legal Affairs - Council of Europe, 2007.

NOLAN, Christopher. Inception. [filme-vídeo]. Produção executive de BRIGHAM. Chris; TULL, Thomas. Burbank (Califórnia, Estados Unidos): Warner Bros, 2010. 148 min. Cor. Som.

OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development). Remuneration of Japanese National Public Employees. 2012. Disponível em: < http://www.oecd.org/>. Acesso em: abr. 2016.

PEERENBOOM, Randall. PETERSEN, Carole J.; CHEN, Albert H.Y. Human Rights in Asia: A Comparative Legal Study of Twelve Asian jurisdictions, France and USA. New York: Routledge, 2006.

PIACENTINI, Dulce de Queiroz. Direitos humanos e interculturalismo: análise da prática cultural da mutilação genital feminina. 176 p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas. Programa de Pós-Graduação em Direito, Florianópolis, 2007.

PIOVESAN, Flávia. Direito constitucional: Direitos humanos e o direito constitucional internacional. Porto Alegre: EMAGIS, 2006.

______. Direitos Humanos e o direito constitucional internacional. 9. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

PRONER, Carol. Os direitos humanos e seus paradoxos: análise do sistema americano de proteção. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2002.

ROSA, Gabriel Artur Marra e. Construção e negociação de identidade: introdução a quem somos e a como nos relacionamos. Curitiba: Juruá, 2014.

RUBIO, David Sánches. Fazendo e desfazendo direitos humanos. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2010.

______. Repensar derechos humanos: de la anestesia a la sinestesia. Sevilla: Mad, 2007.

______. Encantos e desencantos dos direitos humanos: emancipações, libertações e dominações. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2014.

______. Sobre el concepto de historización. Una crítica a la visión sobre las de-generaciones de derechos humanos. In: Praxis – Revista de Filosofía, n. 67, Julio – Diciembre, Heredia, 2011, pp. 9-22.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Gramática do Tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. 3. ed. Porto Alegre: Liv. do Advogado, 2004.

SARTRE, Jean Paul. O existencialismo é um humanismo. Petrópolis: Vozes de Bolso, 2012.

SCHREIBER, Anderson. Direitos da personalidade. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

SGARBOSSA, Luís Fernando. Direitos e garantias fundamentais extravagantes: interpretação jusfundamental "pro homine". Porto Alegre: Sérgio Antonio Fabris, 2009.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. 27. ed. São Paulo: Malheiros, 2006.

SOMÁLIA. Constituição Federal da República da Somália. 2012. Disponível em: . Acesso em: abr. 2016.

SOUZA, Allan Rocha de. Os direitos morais do autor. In: Civilistica, a. 2. n. 1, 2013.

THE JAPAN TIMES. Public favors flag over anthem, poll shows. 1999. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

______. Rebuked ex-teachers lose ‘Kimigayo’ suit. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

THE NEW YORK TIMES. Vote in Japan backs flag and ode as symbols. 1999. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2014.

USCB (United States Census Bureau). Annual Survey of Public Employment & Payroll Summary Report: 2013. 2013. Disponível em: . Acesso em: abr. 2016.

WEBER, Max. O que é burocracia? Brasília: CFA, 2012.

VICKERS, Lucy. Freedom of Speech and Employment. New York: Oxford University, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Argumenta Journal Law

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil