A LUTA SUFRÁGICA FEMININA E A CONQUISTA DO VOTO PELAS MULHERES BRASILEIRAS: ASPECTOS HISTÓRICOS DE UMA CAMINHADA

Gisela Maria Bester

Resumo


Ao colocar em relevo o sufrágio universal na democracia re­presentativa, este artigo examina a luta sufrágica feminina no Brasil e a conquista do voto como forma de emancipação política da mulher em dado contexto histórico. O estudo abrange o período histórico que vai desde a aparição das primeiras manifestações pelo voto até o da sua efetiva conquista e subsequente constitucionalização (1870-1932-1934). Assim, faz-se um relato dos principais as­pectos do sufragismo brasileiro, situando-se também o contexto sócio-histórico-familiar no qual as mulheres estavam inseridas à época dessa reivindicação político-jurídica, enumerando-se ainda algumas conquistas políticas posteriores à afirmação do direito ao voto.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam. Uma conferência entre colchetes. Revista Estudos

Feministas, Florianópolis, UFSC, v. 3, n. 1, p. 212-218, 1995.

ABREU, Maria Emilia Vieira de. Professora Leolinda Daltro: uma proposta de

catequese laica para os indígenas do Brasil: 1895-1911. 101 f.

Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de

São Paulo, 2007.

ABREU, Maria Zina Gonçalves de. Luta das mulheres pelo direito de voto.

Movimentos sufragistas na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos. Arquipélago – História, Revista

da Universidade dos Açores, Ponto Delgada, segunda série, v. VI, p. 443-469, 2002. Disponível

em:

. Acesso em: 28 dez. 2002.

ALVES, Branca Moreira. Ideologia e feminismo: a luta da mulher pelo voto no

Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1980.

AVELAR, Lúcia. O segundo eleitorado: tendências do voto feminino no Brasil.

Campinas, SP: UNICAMP, 1989.

BESTER, Gisela Maria. Direitos políticos das mulheres brasileiras – aspectos

históricos da luta sufrágica e algumas conquistas políticas posteriores. 183 f. Dissertação (Mestrado

em Direito). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.

BESTER, Gisela Maria. Aspectos históricos da luta sufrágica feminina no Brasil. Revista

de Ciências Humanas, UFSC, Florianópolis, v. 15, n. 21, p. 11-22, 1997.

BESTER, Gisela Maria. Uma leitura do processo de impeachment de Dilma Rousseff a partir da

participação das mulheres brasileiras na política: questões de gênero no antes, no durante e no

depois. Revista Jurídica Consulex, Brasília, DF, ano XIX, n. 465, p. 40-47, 1 jun.

BLAY, Eva Alterman. As Prefeitas – A participação política da mulher no

Brasil. Rio de Janeiro: Avenir, 1982.

BONACCHI, Gabriella; GROPPI, Angela (Orgs.). O dilema da cidadania: direitos e

deveres das mulheres. Tradução por Alvaro Lorencini. São Paulo: UNESP, 1995.

BRASIL. Lei 9.100, de 1995. Publicada na Seção 1 do Diário Oficial da União de 02 de outubro

de 1995, p. 15.333-15.340.

BRUSCHINI, Cristina; SORJ, Bila (Orgs.). Novos olhares: mulheres e relações de

gênero no Brasil. São Paulo: Marco Zero, 1994.

DANTAS, SanTiago. Direito de Família e das Sucessões. 2. ed. Rio de Janeiro:

Forense, 1991.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político

brasileiro. 9. ed. São Paulo: Globo, 1991. Obra em 2v.

FLORESTA, Nísia. Direitos das mulheres e injustiças dos homens. 4. ed. atual,

com introdução, notas e posfácio de Constância Lima Duarte. São Paulo: Cortez,

HELENA, Letícia. Livro conta a história do movimento de mulheres no Brasil dos anos

O Globo, Rio de Janeiro, 27 de fevereiro de 2005. p. 17.

KARAWEJCZYK, Mônica. Os primórdios do movimento sufragista no Brasil: o feminismo

“pátrio” de Leolinda Figueiredo Daltro. Disponível em:

.

Acesso em: 4 nov. 2016.

LAMOUNIER, Bolívar (Org.) De Geisel a Collor: o balanço da transição. São

Paulo: Sumaré, 1990.

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime

representativo no Brasil. 2. ed. São Paulo: Alfa-Omega, 1975.

LEITE, Míriam Lifchitz Moreira. Outra face do feminismo: Maria Lacerda de

Moura. São Paulo: Ática, 1984.

MIRANDA, Pontes de. Comentários à Constituição de 1967. São Pau¬lo: RT,

, t. 4.

O DIREITO DE VOTO DA MULHER NO BRASIL - Pesquisa Documental. Arquivos do

Ministério da Justiça, Rio de Janeiro, a. 32, n. 136, p. 1-28, out./dez. 1975.

OSTA VÁZQUEZ, María Laura. Discussões feministas no século XIX. Revista NUPEM, Campo

Mourão, v. 6. n. 11, jul./dez. 2014. Disponível em:

. Acesso em: 29 dez.

PEDRO, Joana Maria. Mulheres honestas e mulheres faladas: uma questão de

classe. Florianópolis: UFSC, 1994.

PEREIRA, Lafayete Rodrigues. Direitos de Família. Rio de Janeiro: [s.n.], 1930.

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da história. Bauru, SP: EDUSC, 2005.

PUGH, Martin. The March of the Women. A revisionist analysis of the campaign for women’s

suffrage, 1866-1914. London: Oxford University Press, 1999.

ROCHA, José Vergílio Castelo Branco. O pátrio poder. 2. ed. ref. São Paulo:

Universitária de Direito, 1978.

RODRIGUES, João Batista Cascudo. A mulher brasileira: direitos políticos e

sociais. 2. ed. Rio de Janeiro: Renes, 1982.

ROSEMBERG, Fúlvia. Subordinação de gênero e alfabetização no Brasil. Idéias,

São Paulo, n. 19, p. 125-148, 1993.

SCOTT, Joan Wallach. Género e Historia. México: FCE, Universidad Autónoma de la Ciudad de

México, 2008.

______. A cidadã paradoxal. As feministas francesas e os direitos do homem. Florianópolis:

Mulheres, 2002.

SOIHET, Rachel. Zombaria como arma antifeminista: instrumento conservador entre libertários.

Estudos Feministas, Florianópolis, v. 13, n. 3, p. 591-611, set./dez. 2005.

______. O feminismo tático de Bertha Lutz. Florianópolis: Mulheres; Santa Cruz do Sul:

EDUNISC, 2006.

SPOTA, Alma Luísa. La igualdad jurídica y social de los sexos. México: Porrua,

STRANSELL, Christine. The feminist promise: 1792 to the present. New York: Modern Library,

TELES, Maria Amélia de Almeida. Breve história do feminismo no Brasil. São

Paulo: Brasiliense, 1993.

VERJUS, Anne. Voto familiarista e voto familiar. Contribuição para o estudo do processo de

individualização das mulheres na primeira metade do século XIX. In: CANEDO, Letícia Bicalho

(Org.). O sufrágio universal e a invenção democrática. São Paulo: Estação Liberdade, 2005. p.

-412.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Argumenta Journal Law

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil