CONTRIBUIÇÕES DOS ESTUDOS EM AQUISIÇÃO DE LINGUAGEM: TEORIA LINGUÍSTICA, PRÁTICA CLÍNICA E INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS

Jean Carlos da Silva Gomes

Resumo


Nesta revisão da literatura, discutimos as contribuições que estudos de aquisição da linguagem apresentam para além de seus objetivos primários relacionados à descrição do processo de incorporação do idioma pelas crianças. Apresentamos duas grandes contribuições, uma para a teoria linguística e outra para intervenções clínicas e pedagógicas. Quanto à primeira, discorremos sobre a contribuição de estudos de aquisição de L1 na descrição da categorização dos sons nas línguas, na validação de princípios da gramática universal, na verificação da hierarquia sintática de categorias funcionais na representação mental, na formulação de hipóteses sobre a perda linguística e no entendimento do processo de mudança linguística. Quanto à segunda, discorremos sobre como estudos de aquisição podem colaborar na diferenciação da aquisição típica e atípica, bem como diferenciar tipos de patologias linguísticas, como atraso na linguagem e desvio fonológico, além de discutir sobre a colaboração no entendimento das dificuldades dos indivíduos em processo de alfabetização.


Palavras-chave


Aquisição de linguagem. Teoria linguística. Prática clínica. Linguística e ensino. Áreas de atuação da Linguística.

Texto completo:

PDF

Referências


ABAURRE, M. B. M. Anotações de curso ‘Fonologia’. Campinas: ÚNICA-MP, 1992.

ADLER, A. N. Syntax and Discourse in the Acquisition of Adjunct Control. 2006, 230f. Tese (Doutorado em Linguística). Department of Linguistics and Philosophy, Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, 2006.

ALTVATER-MACKENSEN, N.; FIKKERT, P. The acquisition of the stop-fricative contrast in perception and production. Lingua, v.120, n.8, p. 1898-1909, 2010.

ANDRADE, I. R.; MACHADO, A. L. N.; FRANÇA, A. I. Os efeitos da iconicidade na pré-alfabetização: um estudo psicolinguístico de pareamento figura-palavra escrita. Ilha do Desterro, v. 72, n. 3, p. 175-199, 2019.

ANDERSEN, R.; SHIRAI, Y. Primacy of Aspect in First and Second Language Acquisition: The pidgin/creole connection. In: RITCHIE, W.; BHATIA, T. (Org.). Handbook of second language acquisition. San Diego, CA: Academic Press., 1996. p. 527-570.

ARAÚJO, T. S. N. Aquisição de aspecto no português do Brasil. 2015, 140f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

AZPIROZ, M. I.; SEGUROLA, M. J. E. La resolución anafórica en la adquisición del euskera. In: Empiricism and analytical tools for 21 Century applied linguistics: selected papers from the XXIX International Conference of the Spanish Association of Applied Linguistics (AESLA). Ediciones Universidad de Salamanca, 2012. p. 65-75.

BAAUW, S. La Adquisición de la Correferencia Pronominal en Español. In: BOK-BENNEMA, R. (Org.). La oración y sus constituyentes: estudios de sintaxis generativa. Leiden: Brill, 2002. p.59-70.

BENSON, D. F.; GESCHWIND, N. The aphasias and related disturbances. In: MESULAN, M. Principle of behavioral neurology. Philadelphia: FA Davis, 1985. p. 193-238.

BOK-BENNEMA, R. Evidence for an aspectual functional head in French and Spanish. In: OOSTENDORP, M V.; ANAGNOSTOPOULOU, E. (Org.). Progress in grammar, articles on the 20th anniversary of the comparison of grammatical models group in Tilburg. Amsterdam: Roquade, 2001.

BRAGA, M. M. O traço aspectual no agramatismo: reformulando a hipótese da poda da árvore. 2004, 78f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

CAGLIARI, L. C. Alfabetização e linguística. São Paulo: Scipione, 1996.

CÁRCERES-ASSENÇO, A. M.; GIUSTI, E.; GÂNDARA, J. P.; PUGLISI, M. L.; TAKIUCHI, N. Por que devemos falar sobre transtorno do desenvolvimento da linguagem. Audiol., v.25, p.1-3, 2020.

CHOMSKY, N. Syntactic structures. The Hague: Mouton, 1957.

CHOMSKY, N. A Review of B. F. Skinner's Verbal Behavior. Language, v. 35, p. 26-58, 1959.

CHOMSKY, N. Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris, 1981.

CHOMSKY, N. Knowledge of Language: its Nature, Origin, and Use. New York: Praeger, 1986.

CHOMSKY, N. Language and problems of knowledge: The Managua lectures. Cambridge, MA: MIT Press, 1988.

CHOMSKY, N. The minimalist program. Cambridge, MA: MIT Press, 1995.

CHOMSKY, N; HALLE, M. The Sound Pattern of English. New York: Harper and Row, 1968.

CINQUE, G. Adverbs and functional heads: a cross-linguistic perspective. New York: Oxford University Press, 1999.

CLEMENTS, G. N.; HUME, E. The internal Organization of Speech Sounds. In: GOLDSMITH, J. (Org.). The Handbook of Phonological Theory. Oxford: Blackwell, 1995. p. 245-306.

CONROY, A.; THORTON, R. Children’s knowledge of Principle C in discourse. In: OTSU, Y. (Org.). Proceedings of the Sixth Tokyo Conference on Psycholinguistics. Tokyo: HituziSyobo Publishing Company, 2005. p. 69-94.

CORRÊA, E. F. S. A ideia de mudança em Hermann Paul e seu legado no gerativismo e na sociolinguística variacionista. Diadorim, v. 8, p. 27-42, 2011.

CRISTÓVÃO, S. A co-referência nos pronomes objecto directo na aquisição do português europeu. 2006. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2006.

CUNHA, A. F.; COSTA, M. A.; MARTELOTTA, M. E.. Linguística. In: MARTELOTTA, M. E.. (Org.). Manual de Linguística. 1ª ed. São Paulo: Contexto, 2008. p.13-30.

DUMBAR, E.; IDSARDI, W. The Acquisition of Phonological Inventories. In: LIDZ, J.; SNYDER, W.; PATER, J. (Org.). The Oxford Handbook of Developmental Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2016, p. 7-26.

ELBOURN, P. On the Acquisition of Principle B. Linguistic Inquiry, v. 36, n. 6, p. 333-365, 2005.

FRANÇA, M. P.; WOLFF, C. L.; MOOJEN, S.; ROTTA, N. T. Aquisição da linguagem oral: relação e risco para a linguagem escrita. Arq. Neuropsiquiatr., v.62, n.2, p. 469-472, 2004.

GROBER, E.; BANG, S. Sentence comprehension in Alzheimer’s disease. Developmental Neuropsychology, v. 11, p. 95 - 107, 1995.

GRODZINSKY, Y. Theoretical perspectives on language deficits. Cambridge: MIT Press, 1990.

GROLLA, E. A aquisição do princípio C da teoria de ligação em português brasileiro: questões metodológicas. Revista de Estudos Linguísticos, v. 21, n 2, p. 9-34, 2013.

HAUSER, M.; CHOMSKY, N.; FITCH, T. The Faculty of Language: What Is It, Who Has It, and How Did It Evolve?. Science, v. 298, p. 1569 - 1579, 2002.

HERMONT, A. B. Tempo e aspecto no DEL. 2005, 272f. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

JAKOBSON, R. Child language, aphasia, and phonological universals. The Hague: Mouton, 1941.

JAKOBSON, R; FANT, G; HALLE, M. Preliminaries to Speech Analysis. Cambridge: MIT Press, 1952.

KATO, M. A. A evolução da noção de parâmetros. D.E.L.T.A., v. 18, n. 2, p. 309-337, 2002.

KENEDY, E. O problema do analfabetismo funcional no Brasil sob uma análise psicolinguística. In: MAIA, M. A. R. (Org.). Psicolinguística e educação. Campinas: Mercado de Letras, 2018. p. 81-102.

KIPARSKY, P. Linguistic Universals and Linguistic Change. In: BACH, E.; HARMS, R. (Org.). Universals in Linguistic Theory. Nova York: Holt, Rinehart and Winston, 1968. p. 170-202.

KING, R. Historical Linguistics and Generative Grammar. New Jersey: Englewood Cliffs, Prenticef Hall, 1969.

LAMPRECHT, R. R. Diferenças no ranqueamento de restrições como origem de diferenças na aquisição fonológica. Letras de Hoje, v. 34, n.3, p. 65-82, 1999.

LAMPRECHT, R. R. (Org.). Aquisição fonológica do português: perfil de desenvolvimento e subsídio para a terapia. Porto Alegre: Artmed, 2004.

LEMLE, M. Guia prático do alfabetizador. 17ª ed. São Paulo: Ática, 2009.

LENNEBERG, E. Biological Foundations of Language. New York: Wiley, 1967.

LESSA, A. T. M. Dissociação entre Tempo e Aspecto à luz da aquisição da linguagem. 2015, 168f. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

LIGHTFOOT, D. How to set parameters: Arguments from language change. Cambridge, MA: MIT Press, 1991.

LIGHTFOOT, D. Grammatical Approaches to Syntactic Change. In: JOSEPH, B.; JANDA, R. (Org.). The Handbook of Historical Linguistics. Malden, MA: Blackwell Publishing, 2003. p.495-508.

LIGHTFOOT, D. Born to parse: how children select their languages. Cambridge: The MIT Press, 2020.

LOPES, E. M. B.; CARVALHO, D. S. Mudança linguística e gramática gerativa: uma perspectiva de aquisição da linguagem. LaborHistórico, v.5, n.1, p. 166-183, 2019.

MESULAM, M. Slowly progressive aphasia without generalized dementia. Annals of Neurology, v. 11, n. 6, p. 592-598, 1982.

MIOTO, C.; SILVA, M. C. F.; LOPES, R. E. V. Novo Manual de Sintaxe. São Paulo: Contexto, 2013.

NESPOLI, J. B. Representação mental do perfect e suas realizações nas línguas românicas: um estudo comparativo. 2018, 178f. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

OUHALLA, J. Functional categories and parametric variation. London: Routledge, 1991.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

POLLOCK, J. Y. Verb movement, universal grammar and the structure of IP. Linguistic Inquiry, v. 20, p. 365 - 424, 1989.

RADFORD, A. Syntactic Theory and the Acquisition of English Syntax. Oxford: Blackwell Publishers, 1993.

RIBOT, T. A. Diseases of memory: an essay in the positive psychology. Washington: University Publications of America, 1883.

RODRIGUES, N. P. S.; MARTINS, A. L. Evidências advindas da aquisição do português do Brasil para os tipos de 'perfect'. Revista LinguíStica, v. 15, n. 3, p. 161-184, 2019.

ROHDE, D.; PLAUT, D. Language acquisition in the absence of explicit negative evidence: how important is starting small? Cognition, v. 72, p. 67-109, 1999.

SALEH, P. B. O. Aquisição de linguagem e ensino de língua materna: um lugar para a subjetividade. Uniletras, v. 30, n. 1, p. 157-172, 2008.

SCHIRMER, C.; FONTOURA, D.; NUNES, M. Distúrbios da aquisição da linguagem e da aprendizagem. Jornal de Pediatria, v. 80, n.2, p. 95-103, 2004.

SKINNER, B. F. Verbal Behavior. California: Copley Press, 1957.

SOUZA, P. C.; SANTOS, R. S. Fonologia. In: FIORIN, J. (Org.). Introdução à Linguística II: princípios de análise. São Paulo: Contexto, 2002. p. 33-58.

TOMASELLO, M. Origens culturais da aquisição do conhecimento humano. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

VARGAS, D. Z.; MEZZOMO, C. L.; FREITAS, C. R. Atraso de linguagem e desvio fonológico: um continuum ou duas patologias distintas?. Revista CEFAC, v. 17, n.3, p. 751-758, 2015.

VYGOTSKY, L. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista Clarabóia está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:

DOAJ  Latindex IBICT  DIADORIM  ERIHPLUS Redib MIAR WorldCat CiteFactor MLA

Licença Creative Commons
Revista Claraboia está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/claraboia