EXPERIÊNCIAS DE ENSINO COM O GÊNERO RESENHA ACADÊMICA

Francineide Francisca Pacheco, Elizabeth Maria da Silva

Resumo


Neste trabalho, focalizam-se experiências com o ensino de resenha acadêmica, haja vista lacunas na área quanto à socialização de didatizações desse gênero a partir da voz dos próprios professores. Para tanto, objetiva-se (1) identificar os objetos de ensino explorados em aulas sobre o gênero resenha acadêmica, em um curso de Letras Português e (2) caracterizar abordagens de ensino de escrita acadêmica subjacentes ao trabalho com o gênero em questão. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa situada no campo da Linguística Aplicada, de natureza exploratória e experiencial. Seu corpus é constituído de planejamentos da disciplina Iniciação à leitura e produção de textos acadêmicos, ofertada no curso citado, e de relatos de duas professoras ministrantes dessa disciplina, concedidos em entrevista semiestruturada. Os resultados indicam diversos objetos de ensino contemplados na didatização do gênero resenha acadêmica: contexto de produção e de circulação, estrutura do gênero, plano global, citação textual, recursos linguísticos, norma culta. Subjacente à escolha desses objetos, tanto nos planejamentos quanto nas falas das participantes da pesquisa, identificamos pressupostos das abordagens socialização acadêmica e habilidades de estudo (LEA; STREET, 1998). Esses resultados dão visibilidade a experiências produtivas com o ensino do gênero resenha acadêmica, além de evidenciarem uma postura sensível das docentes face à realidade e às necessidades dos seus licenciandos. 


Palavras-chave


Licenciatura em Letras. Resenha acadêmica. Transposição didática. Objetos de ensino. Abordagens de ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, R. C. Observar, narrar e significar a experiência da aprendizagem. In: MICCOLI, L. (Org.). Pesquisa experiencial em contexto de aprendizagem: uma abordagem em evolução. Campinas, SP: Pontes Editora, p. 79-99, 2014.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação. Tradução por: Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Batista. Portugal, Porto editora. 1994.

DOLZ, J. ; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B; DOLZ, J. Gêneros Orais e escritos na escola. Trad. e org. ROJO, R.; CORDEIRO, G. S. São Paulo: Mercado das Letras, 2004, p. 95-128.

DOLZ; PASQUIER, A.; BRONCKART, J.-P. L’acquisition des discours: émergence d’une compétence ou apprentissage de capacités langagières? Études de Linguistique Appliquée, n. 102, p. 23-37, 1993.Disponível em: In: Etudes de linguistique appliquée, 1993, n° 92, p. 23-37. https://archive-ouverte.unige.ch/unige:37333.Acesso em: 07 marc.2022.

GARCEZ, Lucília. A escrita e o outro: os modos de participação na construção do texto. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2010.

GEE, J. P. Social linguistics and literacies: ideology in Discourses. 2. ed. London, Philadelphia: The Farmer Press, 1996.

FERREIRA, M.M; Lousada,E.G. Ações do Laboratório de Letramento acadêmico da Universidade de São Paulo: Promovendo a escrita na graduação e pós graduação. 2016. Disponível em: DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8026.2016v69n3p125, acesso em 07 mar.2022.

FISCHER, A.; DIONÍSIO, M. de (2011) Perspectivas sobre letramento(s) no ensino superior: objetos de estudo em pesquisas acadêmicas. Atos de pesquisa em educação - PPGE/ME FURB ISSN 1809-0354 v. 6, n. 1, p. 79-93, jan./abr. 2011.Disponível em: DOI: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2011v6n1p79-93.Acesso em: em 07 mar.2022.

FISCHER, A. Letramento acadêmico: uma perspectiva portuguesa> - DOI: 10.4025/actascilangcult.v30i2.2334. Acta Scientiarum. Language and Culture, 30(2), 177-187. 2008. Disponível em: https://doi.org/10.4025/actascilangcult.v30i2.2334. Acesso em: 05 mar.2022.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IVANIC. R. The discourses of writing and learning to write. Language and education, v. 18, n. 3, p. 220-245, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1080/09500780408666877. Acesso em 10 out.2021.

KLEIMAN, A. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995, p. 15-61.

LEA, M. R.; STREET, B. V.; O modelo de “letramentos acadêmicos”: teoria e aplicações. – The “Academic Literacies” Model: Theory and Applications. Filol. Linguíst. Port., São Paulo, (Tradução Fabiana Komesu e Adriana Fischer) v. 16, n. 2, p. 477-493, jul./dez. 2014.Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2176-9419.v16i2p477-493.Acesso em, 10 de nov.2021.

SILVA, E.M. Os mistérios que envolvem a escrita acadêmica. In: AGUSTINI, C., and ERNESTO, B., eds. Incursões na escrita acadêmico-universitária: letramento, discurso, enunciação [online]. Uberlândia: EDUFU, 2017, pp. 141-152. ISBN: 978-65-86084-26-

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Abordagens qualitativas de pesquisa: a pesquisa etnográfica e o estudo de caso. In: LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A (org.). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986, p. 11-12.

MARCONDES, N. A. V.; BRISOLA, E. M. A. Análise por triangulação de métodos: um referencial para pesquisas qualitativas. Revista Univap, v. 20, n. 35, p. 201–208, 2014.

Disponível em: https://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/article/view/228. Acesso em: 10 nov. 2021.

MARINHO, M. A escrita nas práticas de letramento acadêmico. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte: Alab-Poslin, v.10, n.2, p.363-386, 2010.Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1984-63982010000200005. Acesso em 10 nov.2021.

MENEGASSI, R. J; OHUSCHI, M. C. G. O aprender a ensinar a escrita no curso de letras. Atos de pesquisa em educação. PPGE/ME. FURB. v. 2, nº 2, Maio/Ago. 2007.GASSI, Renilson José; GRECO OHUSCHI, Márcia Cristina. ISSN 1809-0354. Disponível em: >. Acesso em: 15 mar. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2007v2n2p230-256.

MICCOLI, L. S. A experiência na Linguística Aplicada ao ensino de línguas estrangeiras: Levantamento, conceituação, referências e para pesquisa. Rev. Brasileira de Lingüística Aplicada, v. 6, n. 2, 2006, P. 207-248. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbla/a/QXT4MgjBQzwvPSTTjyMdCrN/?format=pdf〈=pt. Acesso em: 10 nov. 2021.

MOITA LOPES, L. P. Da aplicação de Linguística à Linguística Aplicada Indisciplinar.: In.: PEREIRA, R. C.; ROCA, P. (org.). Linguística Aplicada: um caminho com diferentes acessos. São Paulo: Contexto, 2009. p. 11-24.

MOITA LOPES, L. P. da. Linguística Aplicada e vida contemporânea: problematização dos construtos que têm orientado a pesquisa. In.: MOITA LOPES, L. P. da (org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 85-105.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. G. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

PRODANOV, C. C. FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Nova Hamburgo: Freevale, 2013. Disponível em: https://www.feevale.br/Comum/midias/0163c988-1f5d-496f-b118-a6e009a7a2f9/E-book%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf. Acesso em 05 mar.2022.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad005.pdf. Acesso em: 05 mar.2022.

VITORIA, M. I. C.; CHRISTOFOLI, M. C. P. A escrita no Ensino Superior. Educação. Santa Maria, v. 38, n. 1, jan./abr. 2013, p. 41-54. Disponível em . Acesso em: 10 Dez. 2021.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista Clarabóia está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:

DOAJ  Latindex IBICT  DIADORIM  ERIHPLUS Redib MIAR WorldCat CiteFactor MLA

Licença Creative Commons
Revista Claraboia está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/claraboia