Gonçalo Ramires leitor de Alexandre Herculano: cânone e conflito

Rodrigo do Prado Bittencourt

Resumo


Gonçalo Ramires, protagonista do romance “A Ilustre Casa de Ramires” é leitor de Herculano. Consagrado já em vida, ainda hoje este escritor é considerado o maior nome do Romantismo Histórico em Portugal.  Eça de Queirós usa de sua personagem para criticar ironicamente aquele autor e realizar, assim, uma disputa por poder dentro do campo literário lusitano da segunda metade do século XIX. Como demonstra Bourdieu, as posições de poder dentro do campo artístico são estabelecidas em meio a diversos conflitos e a disputa entre vanguarda e artistas consagrados talvez seja o principal dentre eles. A partir de uma análise deste caso, pretende-se aqui discutir o conceito de cânone e perceber como ele é trabalhado ficcionalmente por Eça de Queirós, também canônico.

Palavras-chave


Eça de Queirós. Alexandre Herculano. Cânone. Campo literário.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ANDRÉ, João Maria. Multiculturalidade identidades e mestiçagem. Coimbra: Palimage, 2012.

APTER, Emily. “Global Translatio: The ‘Invention’ of Comparative Literature”, Istanbul, 1933. Critical Inquiry, v. 29, n.1, Winter 2003, p. 253-81.

ARAC, Jonathan. “Anglo-globalism?” New Left Review, n. 16, Jul.-Aug. 2002, p. 35-45.

BLOOM, Harold. SHAKESPEARE: a invenção do Humano. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CASANOVA, Pascale. A república mundial das letras. Trad. de Marina Appenzeller. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.

CUNHA, C. “O nacionalismo do cânone literário português em contexto escolar: entre o ético e o estético” In: Revista de Arte e Crítica de Viseu: Verão 2002/2005. Viseu, 2005, p. 25-53.

CUNHA, C. “V – O espaço literário global” In: A(s) geografia(s) da literatura: do nacional ao global. Guimarães: Opera Omnia, 2001, pp. 71-97.

MORETTI, Franco. A literatura vista de longe. Trad. de Anselmo Pessoa Neto. Porto Alegre: Arquipélago, 2008.

MORETTI, Franco. Signos e estilos da modernidade. Trad. de Maria Beatriz de Medina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

PRENDERGAST, Christopher. “Evolution and literary history”. New Left Review, n. 34, Jul.-Aug. 2005, p. 40-62.

PIZER, John. “Goethe’s ‘World Literature’: Paradigm and Contemporary Cultural Globalization”. Comparative Literature, v. 52, n. 3, Summer 2000, p. 213-27.

QUEIRÓS, José Maria Eça de. A Ilustre Casa de Ramires. Edição Crítica das Obras de Eça de Queirós. Edição de Elena Losada Soler. Coordenação de Carlos Reis. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1999.

QUEIRÓS, José Maria Eça de. “Carta a Camilo Castelo Branco”. In: QUEIRÓS, José Maria Eça de. Cartas Públicas. In: Cartas Públicas. Edição Crítica das Obras de Eça de Queirós. Edição de Ana Teresa Peixinho. Coordenação de Carlos Reis. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2009a, p. 205-210.

QUEIRÓS, José Maria Eça de. “Carta-prefácio a Azulejos do Conde de Arnoso”. In: QUEIRÓS, José Maria Eça de. Cartas Públicas. Edição Crítica das Obras de Eça de Queirós. Edição de Ana Teresa Peixinho. Coordenação de Carlos Reis. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2009b, p. 187-204.

QUEIRÓS, José Maria Eça de. “Uma carta sobre Victor Hugo [ Carta ao director d’A ilustração]” In: QUEIRÓS, José Maria Eça de. Cartas Públicas. Edição Crítica das Obras de Eça de Queirós. Edição de Ana Teresa Peixinho. Coordenação de Carlos Reis. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2009c, p. 165-176.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista Clarabóia está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:

DOAJ  Latindex IBICT  DIADORIM  ERIHPLUS Redib MIAR WorldCat CiteFactor MLA

Licença Creative Commons
Revista Claraboia está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/claraboia