O absurdo e o irônico em "O estrangeiro", de Albert Camus

Roseane Graziele da Silva, Eunice Terezinha Piazza Gai

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo identificar os aspectos que caracterizam o absurdo na obra O estrangeiro, de Albert Camus. Pretendemos ainda apontar aspectos irônicos presentes no romance, estabelecendo possíveis confluências entre as suas dimensões absurda e irônica. Para isso, utilizaremos pressupostos presentes em outras obras do escritor francês como O mito de Sísifo e O homem revoltado, assim como referencial teórico pertinente ao tema em questão.

 

Palavras-chave: O estrangeiro. O absurdo.  Ironia

 


Palavras-chave


O estrangeiro. O absurdo. Ironia

Texto completo:

PDF

Referências


CAMUS, Albert. Estado de sítio; O estrangeiro. Traduções de Maria Jacintha e Antônio Quadros. São Paulo: Abril Cultural, 1979. p.VII-XXV e p.151-298.

CAMUS, Albert. O mito de Sísifo. Tradução de Ari Roitman e Paulina Watch. Rio de Janeiro: Record, 2004.

CAMUS, Albert. O homem revoltado. Tradução de Valerie Rumjanek. 5. ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.

DUARTE, Lélia Parreira. Ironia e humor na literatura. São Paulo: Alameda, 2006.

MAUROIS, André. De Proust a Camus. Tradução de Fernando Py. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1965.

MUECKE, D. C. Ironia e o irônico. São Paulo: Perspectiva, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista Clarabóia está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:

DOAJ  Latindex IBICT  DIADORIM  ERIHPLUS Redib MIAR WorldCat CiteFactor MLA

Licença Creative Commons
Revista Claraboia está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/claraboia