FORMULAÇÃO DE PROBLEMAS EM MATEMÁTICA: UM MATERIAL PARADIDÁTICO PARA O ENSINO DE MULTIPLICAÇÃO E DIVISÃO NO CAMPO CONCEITUAL MULTIPLICATIVO

Renan Oliveira Altoé, Rony Cláudio de Oliveira Freitas

Resumo


Este trabalho apresenta o Produto Educacional, intitulado “Formulação de Problemas: multiplicação e divisão”, resultante de uma pesquisa de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática, composto pelas propostas desenvolvidas no decorrer da pesquisa e com o objetivo de contribuir para os estudos de multiplicação e divisão no Campo Conceitual Multiplicativo de Vergnaud. Para tanto, realizamos uma pesquisa de natureza qualitativa, do tipo experimental, desenhada na metodologia da Engenharia Didática, contando com a participação de 28 estudantes de um 5º ano de uma Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio, no município de Vargem Alta-ES, e, também, da professora regente da turma. Constatamos que as propostas, contidas no material paradidático, têm potencial educativo, uma vez que contribuíram para o processo de formulação de problemas, os quais apresentaram potencialidades para o ensino de multiplicação e divisão e abarcaram contextos, vivências, motivações, interesses e desejos, próprios dos estudantes, levando-os ao envolvimento nas aulas de matemática e na resolução de problemas.

 

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMOULOUD, S. A.; COUTINHO, C. D. Q. E. S. Engenharia Didática: características e seus usos em trabalhos apresentados no GT-19/ANPEd. Revista Eletrônica de Educação Matemática, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 62-77, 2008.

ALTOÉ, R. O. Formulação de problemas do campo conceitual multiplicativo no ensino fundamental: uma prática inserida na metodologia de resolução de problemas. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória.

ALTOÉ, R. O.; FREITAS, R. C. O. Formulação de Problemas: multiplicação e divisão. Vitória: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, 23 p. 2017.

BOAVIDA, A. M. R. et al. A Experiência Matemática no Ensino Básico. In: Programa de Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico. Lisboa/PT, p. 27-30, 2008.

CHICA, C. H. Por que formular problemas? In: Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. 1. ed. reimp. São Paulo: Artmed, p. 151-173, 2001.

DANTE, L. R. Formulação e resolução de problemas de matemática: teoria e prática. 1. ed. São Paulo: Ática, 2009.

DALCIN, A. Um olhar sobre o paradidático de matemática. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Faculdade de Educação, UNICAMP.

D’AMORE, B. Il problema di matematica nella pratica didattica. 1. ed. Modena: Digital Docet, 2014.

ENGLISH, L. D. Children’s problem posing within formal and informal context. Journal for Research in Mathematics Education, v. 29, n. 1, p. 83-106, 1998.

GONTIJO, C. H. Relações entre criatividade, criatividade em matemática e motivação em matemática de alunos do ensino médio. 2007. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade de Brasília, Brasília.

KILPATRICK, J. Problem formulating: where do good problems come from? In: SCHOENFELD, A. H (Ed). Cognitive science and mathematics education. Hillsdale, NJ: Erlbaum, p. 123-147, 1987.

MEDEIROS, K. M.; SANTOS, A. J. Uma experiência didáctica com a Formulação de Problemas matemáticos. Zetetiké. v. 15, n. 28, p. 87-118, 2007.

MEDEIROS, K. M.; SANTIAGO, M. S. Formulação e resolução de problemas matemáticos na sala de aula: explicitando o intertexto. In: XXIV Seminário de Investigação em Educação Matemática. Braga: APM & CIEd da Universidade de Minho, p. 583-585, 2013.

MOREIRA, M. A. Teorias de aprendizagem. 2. ed. ampl. reimpr. São Paulo: E.P.U, 2015.

MUNAKATA, K. Produzindo livros didáticos e paradidáticos. 1997. Tese (Doutorado em História e Filosofia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo.

NCTM. An Agenda for Action: Recommendations for School Mathematics in the 1980’s. Reston, VA: National Council of Teachers of Mathematics, 1980.

PAIS, L. C. Didática da matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

SILVER, E. A. On mathematical problem posing. In: For the Learning of Mathematical. v. 14, n. 1, p. 19-28, 1994.

SOLÉ, I. Disponibilidade para a aprendizagem e sentido da aprendizagem. In: COLL, C. et al. O construtivismo na sala de aula. Tradução de Claúdia Schilling. 6. ed. São Paulo: Ática, p. 29-55, 2009.

VERGNAUD, G. A criança, a matemática e a realidade: problemas do ensino de matemática na escola elementar. Trad. Maria Lucia Faria Moro. 3. ed. rev. Curitiba: Ed. da UFPR, 2014.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542