RELATÓRIO DE PESQUISA: EGRESSOS DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE RORAIMA E SUAS PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL

Ana Carolina Ferreira Machado, Enia Maria Ferst

Resumo


O presente produto, consolidado em forma de relatório, foi produzido a partir da pesquisa intitulada: Egressos do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Universidade Estadual de Roraima e suas práticas metodológicas para o Ensino Fundamental, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (PPGEC), como um dos requisitos para a concessão do título de mestre. O produto está inserido dentro da linha de pesquisa Métodos pedagógicos e tecnologias digitais no Ensino de Ciências, do referido Programa. A análise da atuação dos profissionais de educação no espaço escolar após o Mestrado em Ensino de Ciências coloca-se no horizonte de uma prática profissional que se quer competente. Nossa abordagem buscou fazer uma reflexão sobre o desafio da formação continuada que visa colaborar para a construção de uma sociedade melhor. Foi nesse contexto que se construiu o objetivo geral da pesquisa: analisar como o Mestrado Profissional em ensino de Ciências oferecido pela Universidade Estadual de Roraima (UERR) influencia na metodologia de ensino dos egressos que atuam como professores de Ciências Naturais em escolas públicas de Boa Vista-RR. Esperamos que este relatório sirva como uma fonte importante para o acompanhamento dos egressos do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Universidade Estadual de Roraima, pois contém informações referentes ao perfil desses egressos, motivações que impulsionaram a busca pelo curso, as contribuições dessa etapa formativa para atuação em sala de aula, bem como as metodologias utilizadas para ensinar Ciências Naturais no Ensino Fundamental.

 


Texto completo:

PDF

Referências


CAETANO, M. R. As influências do terceiro setor na educação pública: o projeto piloto de alfabetização e as implicações na gestão da escola. Cadernos de Educação FaE/PPGE/UFPel. Pelotas [42]: 282 - 298, maio/junho/julho/agosto 2012.

CASSETTARI, N. SCALDELAI, V. de F. FRUTUOSO, P. C. Exoneração a pedido de professores: estudo em duas redes municipais paulistas. Educ. Soc., Campinas, v. 35, nº. 128, p. 629-996, jul.-set., 2014. Disponível em http: http://www.scielo.br/pdf/es/v35n128/0101-7330-es-35-128-00909.pdf. Acesso em: 29 nov.de 2018.

CEVALLOS, I. O Mestrado Profissional em Ensino de Matemática e o desenvolvimento profissional de professores: um desafio institucional. Tese (Doutorado em Educação Matemática). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro. n.22, p.89-100, Jan/Fev/Mar/Abr, 2003.

COSTA, M. Exclusão e invisibilidade na ciência. Cadernos Pagu (27), julho-dezembro de 2006: pp.455-459. Disponível em http: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010483332006000200018. Acesso em: 29 nov.de 2018.

DIAS-DA-SILVA, M. H. G. F. In: MIZUKAMI, Maria das G. N; REALI, Aline M. de M. R. (orgs.). Formação de professores, práticas pedagógicas e escola, São Carlos: EdUFSCar, 2010.

FERREIRA, L. S. O trabalho dos professores na escola: quando o tempo se trai. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 206-222, ago. 2010.

FRANÇA, E. N. Graduados: e depois? (A presença de egressos de Pedagogia do ICHS CUR/UFMT nas escolas públicas Municipais e Estaduais de 1º grau em Rondonópolis/MT). Relatório de pesquisa de Iniciação Científica, CAPES/CNPq, 1995.

GUIMARÃES, E. M. A organização do trabalho docente. In: Consórcio Sententrional de Ensino a distância. p. 99-113, 2008. Disponível em: http://nead.uesc.br/arquivos/Biologia/mod4bloco4/ep4/organizacaodotrabalhodocente.pdf. Acesso em: 10/12/2017.

IAB, Instituto Alfa e Beto. Ciências 1º Ano, 3. ed. Brasília, DF, 2010.

LAROCCA, P.; GIRARDI, P. G. Trabalho, satisfação e motivação docente: um estudo exploratório com professores da educação básica. X Congresso Nacional de Educação – EDUCERE. I Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação – SIRSSE. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 7 a 10 de novembro de 2011.

LETA, J. As mulheres na ciência brasileira: crescimento, contrastes e um perfil de sucesso. ESTUDOS AVANÇADOS 17 (49), 2003. Disponível em http: //www.scielo.br/pdf/ea/v17n49/18408.pdf. Acesso em: 29 nov.de 2018.

LIMA, S. M. de; REALI, A. M. de M. In: MIZUKAMI, M. das G. N; REALI, A. M. de M. R. (orgs.). Formação de professores, práticas pedagógicas e escola, São Carlos: EdUFSCar, 2010.

MANFREDI, S. M. Metodologia do ensino - diferentes concepções. Campinas, 1993. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/1974332/mod_resource/content/1/METODOLOGIA-DO-ENSINO-diferentes-concep%C3%A7%C3%B5es.pdf.Acesso: 20/03/2018.

MARTINS, I. G. R. Analisando livros didáticos na perspectiva do discurso: compartilhando reflexões e sugerindo uma agenda para a pesquisa. Pro-Posições (Unicamp), Campinas, SP, v.17, n.1(4 a), p.117-136, 2006.

MOREIRA, M. A. O mestrado (profissional) em ensino. Revista Brasileira de Pós-Graduação - RBPG; Brasília, vol. 1, n. 1, p. 131-142, jul. 2004.

SANTOS, E. O. dos. Necessidades formativas de professores iniciantes que ensinam Matemática na Rede Municipal de Boa Vista-RR. Cuiabá: Universidade Federal do Mato Grosso, 2018. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática).

SILVA, A. M. T. B. da; SUAREZ, A. P.M. de S.; UMPIERRE, A. B. Produtos educacionais: uma avaliação necessária. Interações N. 44, p. 232-243, 2017


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542