A UTILIZAÇÃO DE RÓTULOS NO ENSINO DE QUÍMICA: UM ESTUDO DA PRODUÇÃO ACADÊMICA DE 2014 A 2019

Alessandro Cury Soares, Marcello Ferreira, André Luís Silva da Silva, Khalil Oliveira Portugal, Olavo Leopoldino da Silva Filho, Adriana Pereira Ibaldo, José Thiago do Nascimento Pereira, Luana Barros Ramalhos, Bruno Peixoto de Oliveira

Resumo


Por meio deste artigo buscou-se discutir, à luz da literatura consolidada na área do Ensino de Ciências, a utilização de rótulos de cosméticos e produtos de higiene pessoal nos processos de ensino e de aprendizagem em Química. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo de cunho bibliográfico, sistematizada por meio da Análise de Conteúdo. Foram selecionadas e analisadas oito publicações, cujo foco temático tratou de uma intervenção pedagógica para o Ensino de Química realizada a partir do uso de rótulos dos produtos aqui de interesse. Percebeu-se que os rótulos desses produtos podem ser inseridos na prática educativa de amplos modos, cabendo ao docente a escolha daquele que melhor se adeque à sua realidade. As oficinas temáticas, a pedagogia de projetos e sequências didáticas foram os métodos predominantes na literatura selecionada. Foram observados conteúdos de Química tais como: geometria molecular, polaridade, solubilidade, interações intermoleculares e funções orgânicas. Conclui-se que o uso de rótulos enquanto estratégia didática pode trazer importantes benefícios aos processos de ensino e de aprendizagem, constituindo-se em um recurso de amplo auxílio pedagógico.


Texto completo:

PDF

Referências


ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos). Panorama do setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos – Resultados 2017. 2018. Disponível em: https://abihpec.org.br/publicacao/panorama-do-setor-2018. Acesso em 03: set. 2019.

ALMEIDA, L. R. A Higiene Pessoal na Contextualização do Ensino de Química. 2018. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Química. Campinas, SP. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/333143. Acesso em: 05 mai. 2019.

BACKES, N. F.; PROCHNOW, T. R. O Ensino de Química Orgânica por meio de temas geradores de discussões: o uso da metodologia ativa World Café. 37° Encontro de Debates sobre o Ensino de Química. (Anais...). 2017. Disponível em: http://www.edeq.furg.br/images/arquivos/trabalhoscompletos/s02/ficha-213.pdf. Acesso em: 04 mai. 2019

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília: MEC, 1961.

________, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília; MEC, 1996.

________, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, DF: ME/CNE, 21 de novembro de 2018.

________, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Brasília: MEC/SEF, 2000.

________, ANVISA Resolução RDC nº 259, de 20 de setembro de 2002. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33880/2568070/RDC_259_2002.pdf/e40c2ecb-6be6-4a3d-83ad-f3cf7c332ae2. Acesso em: 02 mai. 2019.

________, ANVISA Resolução RDC nº 05, de 10 de fevereiro de 2015. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2867685/RDC_07_2015_.pdf. Acesso em: 30 ago. 2019.

________, Secretaria da educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília, MEC, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf. Acesso em: 01 mai. 2019.

_______. Ministério da Educação, Base Nacional Comum Curricular. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/12/BNCC_19dez2018_site.pdf. Acesso em: 11 dez. 2019.

BROWN, T. L.; LEMEY JR, H. E.; BURSTEN, B. E.; BURDGE, J. R. Química: a ciência central. 9ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

BORGES, A. T. Novos rumos para o Laboratório Escolar de Ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, p. 291-313, 2002. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6607. Acesso em: 07 mai. 2019.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. Metodologia do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 1991.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

FRANÇA, M. O. A Química no cuidado da pele: relato de uma experiência com a Pedagogia de Projetos no Ensino de Química Orgânica. II Congresso Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências – CONAPESQ. (Anais...). 2017. Disponível em: https://editorarealize.com.br/revistas/conapesc/trabalhos/TRABALHO_EV070_MD1_SA6_ID1456_22042017145404.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

GOMES, L. M. J. B.; DIONYSIO, L. G. M.; MESSEDER, J. C. Análise de rótulos de produtos domissanitários como forma de discutir a química no cotidiano dos estudantes. Educação química, v. 26, n. 1, p. 21-25, 2015. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0187-893X2015000100004. Acesso em: 03 set. 2019.

IVANISSEVICH, A.; PINTO, A. C. Química hoje. Rio de Janeiro: Instituto Ciência hoje, 2012.

KATO, D. S.; KAWASAKI, C. S. As concepções de contextualização do ensino em documentos curriculares oficiais e de professores de ciências. Ciência e Educação, v. 17. n. 1, p. 35-50, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132011000100003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 12 dez. 2019.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-88392000000100010&script=sci_abstract. Acesso em: 07 mai. 2019.

LIMA, J. O. G. Do período colonial aos nossos dias: uma breve história do Ensino de Química no Brasil. Revista Espaço Acadêmico, v. 12, n. 140, p. 71-79, 2013. Disponível em http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/19112. Acesso em: 07 mai. 2019.

LUCA, A. G. O ensino de Química nas leituras de embalagens/rótulos. São Paulo: Livraria da Física, 2015.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2013.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132003000200004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 11 dez. 2019.

MORTIMER, E. F. Dez anos de Química Nova na Escola: A Consolidação de um Projeto da Divisão de Ensino da SBQ. Química Nova na Escola, v. 20, n. 1, p. 3-10, 2003. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc20/v20a01.pdf. Acesso em: 03 set. 2019.

MÜNCHEN, S. Cosméticos: uma possibilidade de abordagem para o ensino de Química. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2012. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/6657. Acesso em: 03 set. 2019.

NEVES, A. P.; GUIMARÃES, P. I. C.; MERÇON, F. Interpretação de Rótulos de Alimentos no Ensino de Química. Química Nova Na Escola, v. 31, n. 1, 2009. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc31_1/07-RSA-1007.pdf. Acesso em: 04 mai. 2019.

NUNES, M. G. S. Estudando Química através dos rótulos de alimentos embutidos encontrados em supermercados: estudo de caso. Artigo (Trabalho de Conclusão de Curso) – Universidade Federal do Maranhão, São Bernardo, MA, 2017. Disponível em: https://monografias.ufma.br/jspui/handle/123456789/1360. Acesso em: 03 set. 2019.

OLIVEIRA, A. C. D.; MILARÉ, T. Consumismo e cosméticos no ensino de química: avaliação das contribuições da abordagem CTS. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC. (Anais...), 2017. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R1218-1.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

PAZINATO, V. L. Concepções de contextualização na seção Relatos de Sala de Aula da Revista Química Nova na Escola. Monografia (Licenciatura em Ciências da Natureza) – Instituto Federal de Santa Catarina, São José, SC, 2013. Disponível em: https://wiki.sj.ifsc.edu.br/wiki/images/5/5f/TCC402-001_Viviane_Lopes_Pazinato.pdf. Acesso em: 03 set. 2019.

PAZINATO, M. S.; BRAIBANTE, M. E. F. Oficina temática composição química dos alimentos: uma possibilidade para o ensino de química. Química Nova na escola, v. 36, n. 4, p. 289-296, 2014. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc36_4/08-RSA-133-12.pdf. Acesso em: 07 mai. 2019.

PRADO, M. Pedagogia de Projetos. In: BRASIL. Ministério da Educação. Pedagogia de Projetos e Integração de Mídias. MEC: Brasília, 2003. p. 1-14.

REIS, M. T.; BRAIBANTE, M. E. F.; MIRANDA, A. C. G. Esmalte de Unhas: uma temática para construção. Experiências em Ensino de Ciências, v. 12, n. 8, p. 184-196, 2017. Disponível em: http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID444/v12_n8_a2017.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

RICARDO. E. C. Competências, Interdisciplinaridade e contextualização: dos Parâmetros Curriculares Nacionais a uma compreensão para o Ensino de Ciências. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, Centro de Ciências da Educação, Centro de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102668. Acesso em: 12 dez. 2019.

RODRIGUES, J. C.; FREITAS FILHO, J. R.; FREITAS, Q. P. S. B.; FREITAS, L. P. S. R. Elaboração e aplicação de uma Sequência Didática sobre A Química dos Cosméticos. Experiências em Ensino de Ciências, v. 13, n. 1, p. 211- 224, 2018. Disponível em: http://if.ufmt.br/eenci/artigos/Artigo_ID467/v13_n1_a2018.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

SANTOS, M. E. V. M. Ciência como cultura: paradigmas e implicações epistemológicas na educação Científica escolar. Química Nova, v. 32, n. 2, p. 530-537, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-40422009000200043. Acesso em: 05 set. 2019.

SANTOS, E. P.; SILVA, B. C. F.; SILVA, G. B. A contextualização como ferramenta didática no ensino de química. VI Colóquio internacional, educação e contemporaneidade (EDUCON). (Anais...), 2012. Disponível em: http://educonse.com.br/2012/eixo_06/PDF/39.pdf. Acesso em: 03 set. 2019.

SANTOS, A. O.; SILVA, R. P.; ANDRADE, D.; LIMA, J. P. M. Dificuldades e motivações de aprendizagem em Química de alunos do ensino médio investigadas em ações do (PIBID/UFS/Química). Scientia Plena, v. 9, n. 7, 2013. Disponível em: https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/1517. Acesso em: 03 set. 2019.

SANTOS, W. L. P.; SCHNETZLER, R. P. Função Social: o que significa Ensino de Química para formar o cidadão? Química Nova na Escola. v. 4, n. 4, p. 28-34, 1996. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc04/pesquisa.pdf. Acesso em: 03 set. 2019.

SILVA, L. G.; BIERHALZ, C. D. K. Esmaltes de Unhas como temática para o Ensino de Ciências da Natureza. Revista Debates em Ensino de Química. v. 3, n. 2, p. 167-187, 2017. Disponível em: http://www.journals.ufrpe.br/index.php/REDEQUIM/article/view/1662/1581. Acesso em: 05 mai. 2019.

SIMÕES, I. S. M. Cosméticos: um olhar crítico sobre os rótulos. IN: Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. v. 1, 2014. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2013/2013_unioeste_qui_artigo_irene_de_souza_martins_simoes.pdf. Acesso em: 05 maio 2019.

SOARES, F. A. A Elaboração e uso de uma Unidade Temática sobre Limpeza no Ensino De Química. 2018. Monografia (Programa de Desenvolvimento Educacional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/182365. Acesso em: 05 mai. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542