O SANEAMENTO BÁSICO COMO TEMA PARA A PRODUÇÃO DE VÍDEOS: UMA ATIVIDADE PARA A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

Marielze Pinto da Paixão, Fábio Augusto Rodrigues e Silva, Evelyn Jeniffer de Lima Toledo

Resumo


O presente trabalho apresenta um estudo de uma atividade de produção de vídeos sobre saneamento básico desenvolvido por alunas e alunos do Ensino Fundamental ll em uma escola da rede pública. Essa atividade foi pensada a partir dos princípios da abordagem Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente a fim de favorecer uma Educação em Direitos Humanos. A análise dos dados obtidos em todo processo educativo tomou como base os referenciais teóricos metodológicos da Teoria Ator-Rede, que permitiu analisar os fluxos e movimentos, tendo por base os actantes que, no caso desse trabalho, são alunos, professor, vídeos e fotos. Após as análises foi possível observar as controvérsias que emergiram durante a oficina de pré-produção de vídeos. Salienta-se ainda que, por meio da atividade desenvolvida, os alunos puderam discutir novos assuntos que abarcam o tema central: saneamento básico, e que dão vozes às políticas públicas, saúde coletiva, Direitos Humanos e economia, por exemplo. Dessa forma, acredita-se que a oficina de produção de vídeos sobre o tema saneamento básico foi uma ferramenta diferenciada para o processo de aprendizagem no ensino de ciências, como relevante mecanismo para que os alunos possam trabalhar as questões pertinentes ao saneamento básico no contexto brasileiro.


Texto completo:

PDF

Referências


BALISSEIA, A. A pesquisa-ação: uma metodologia do conhecer e agir coletivo. Sociedade em Debate, Pelotas, v.7, n.2 p.5-25. 2001.

BARROSO, L.B. Saneamento básico: competências constitucionais da União, Estados e Municípios. Revista Interesse Público, Brasília, v.38, n.153, p.255-270, jan./Mar., 2002.

BOVOLATO, L. E. Saneamento básico e saúde. Vida pastoral, São Paulo, p. 1 ¬ 64, 12 jan. 2016

BRASIL. Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico e para a política federal de saneamento básico. Brasília: Congresso Nacional, [2007]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm. Acesso em: 21 janeiro. 2007.

COUTINHO, F.A.; RODRIGUES E SILVA, F.A.R. Análise do texto de um livro didático de biologia orientada pela teoria ator-rede: um estudo sobre o tema evolução biológica. Investigações em ensino de ciências, Porto Alegre, v.19, n.3, p.531-539,2014.

FREIRE, L. L. Seguindo Bruno Latour: notas para uma antropologia simétrica. Comum, Rio de Janeiro, v.11, n.26, p.46-65, jan./jun. 2006.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: Editora da Universidade do Sagrado Coração, 2012.

MELO, M. F. A. Q. Discutindo a aprendizagem sob a perspectiva da teoria ator-rede. Educar em Revista, Curitiba, n.39, p.177-190, abr. 2011.

MOISES, M.; KLIGERMAN, D. C.; COHEN, S. C.; MONTEIRO, S. C. F. A política federal de saneamento básico e as iniciativas de participação, mobilização, controle social, educação em saúde e ambiental nos programas governamentais de saneamento. Ciência & saúde coletiva. Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, p. 2581-2591, ago. 2010.

OLIVEIRA, J.R. Proposta de uma sequência didática fundamentada na teoria ator rede: o estatuto do embrião. 2017. 126f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Instituto de Ciências Exatas e Biológicas, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017. Disponível em: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/8548. Acesso em: 10 dez. 2019.

OLIVEIRA, R.D.V.L.; QUEIROZ, G.P.C. Educação em ciências e direitos humanos: reflexão-ação em/para uma sociedade plural. Rio de Janeiro: Multifoco, 2013.

OLIVEIRA, R.D.V.L.; QUEIROZ, G.P.C. Olhares sobre a (in) diferença: formar-se professor de ciências a partir de uma perspectiva de educação em direitos humanos. São Paulo: Livraria da Física, 2015.

SANTOS, F.C. Sequência didática para o ensino fundamental: trilhas para investigar a aprendizagem em ambientes naturais e urbanos. 2017.106f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências), Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017.

SANTOS, T.; ALVES-OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. A. R.; MACHADO, M. T. C.; MANHÃES, A. C.T. S.; BASTOS, L. S.; DIOGO, M. A. GOMES, M. P. Oficina como recurso pedagógico na construção do saber ambiental. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 9., 2013, Águas de Lindóia, SP. Anais [...]. Águas de Lindóia,SP: UFRJ, 2013.

SANTOS, V. M. D. F.; SILVA, F. A. R.; COUTINHO, F. Â. Contribuições da Teoria Ator-Rede para a Pesquisa em Educação em Ciências. In: Encontro Regional de Biologia, 4, 2015, Juiz de Fora (MG). Anais [...]. Juiz de Fora (MG): UFJF, 2015.

SOUZA, M.S.S. Meio ambiente urbano e saneamento básico. Mercator -Revista de Geografia da UFC, Fortaleza, n.1, p.41-52 , 2002.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educ. Pesqui., São Paulo , v.31, n.3, p.443-466, Dez. 2005. Disponível em: Acesso em: 24 Jan. 2020.

VALDUGA, M.; DAL-FARRA, R.A. Saneamento básico: práticas educativas no ensino fundamental. Acta Science: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, Canoas, v.17, n.3, p.766-780, set/dez. 2015.

ZAMBERLAN, L; A. O. GAGLIARDI, GRISON, A. J. TEIXEIRA, E. B. VIEIRA, E.P., DREWS, G. A, SOUZA, J. D. S., BRIZOLLA, M.M.B., ALLEBRANDT, S. L. Pesquisa em ciências aplicadas. Ijuí: Ed. Unijuí, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542