VILA DE DOIS RIOS (ILHA GRANDE-RJ): ANÁLISE DA RELAÇÃO CIÊNCIA-COMUNIDADE E PROPOSTA DO USO DE ANIMAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Fernanda de Carvalho Motta, Débora de Aguiar Lage

Resumo


A ciência está presente em todo momento da vida contemporânea e atua como ferramenta de tomada de decisão em políticas públicas, já que representa elevada influência social, política, econômica, cultural ou ambiental. Contudo, sua propagação ainda é, na maioria das vezes, isolada da sociedade. O presente trabalho visou analisar a relação entre a ciência e a comunidade da Vila de Dois Rios (Ilha Grande-RJ) e propor o uso de animações como estratégia de divulgação científica na região. A partir de um questionário diagnóstico aberto aplicado a pesquisadores e moradores, foi possível perceber que a divulgação científica ainda se faz ineficiente para ambos os estratos. Além da complexidade associada à linguagem científica, diversos outros fatores contribuem para a ineficácia da popularização científica. Desta forma, com o intuito de favorecer as inter-relações entre ciência, tecnologia e sociedade, um vídeo de animação foi elaborado a partir de um artigo científico produzido na Vila de Dois Rios. Acredita-se que o uso de metodologias inovadoras e ambientes não-formais de educação devem ser considerados por pesquisadores e divulgadores, a fim de alcançar um estrato mais amplo da sociedade ao divulgar o conhecimento produzido pela academia.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P.; ANDRADE, L. D. H. C. Conhecimento botânico tradicional e conservação em uma área de caatinga no estado de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Traditional botanical knowledge and conservation in an area of caatinga in Pernambuco state, Northeast Brazil. Acta Botanica Brasilica, v. 16, n. 3, p. 273-285, 2002.

AMERICO, M. TV Digital: Propostas para o desenvolvimento de conteúdo sem animação para o Ensino de Ciências, Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências, Bauru, SP, 2010.

ANDRES, F. C.; ANDRES, S. C.; MORESCHI, C.; RODRIGUES, S. O.; FERST, M. F. A utilização da plataforma Google Forms em pesquisa acadêmica: relato de experiência. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, 2020.

ARAÚJO, C. D.; CARVALHO, A. G.; SILVA, C. D. Impactos ambientais do turismo na Ilha Grande: comparativo sobre a percepção dos moradores da Vila do Abraão e da Vila Dois Rios. Caderno Virtual de Turismo, v. 5, n. 3, p. 18-26, 2005.

BERNARDO, M. H. Produtivismo e precariedade subjetiva na universidade pública: o desgaste mental dos docentes. Psicologia & Sociedade, v. 26, p. 129-139, 2014.

BLANCH-RIBAS, J. M.; CANTERA, L. La nueva gestión pública de universidades y hospitales: aplicaciones e implicaciones. In AGULLÓ, E.; ÁLVARO, J. L.; GARRIDO, A.; MEDINA, R.; SCHWEIGER, I. (Eds.), Nuevas formas de organización del trabajo y la empleabilidad. Oviedo: Universidad de Oviedo, 2011.

BOCCATO, V. R. C. Metodologia da pesquisa bibliográfica na área odontológica e o artigo científico como forma de comunicação. Revista de Odontologia da Universidade da cidade de São Paulo, v. 18, n. 3, p. 265-274, 2006.

BRANDÃO, C. R. O que é Educação Popular. São Paulo: Brasiliense, 2006.

CALDAS, G. Divulgação científica e relações de poder. Informação & Informação, v. 15, n. 1 esp, n. 31-42, 2010.

BUENO, W. C. comunicação científica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Informação & Informação, v. 15, n. esp., p. 1 - 12, 2010.

CALVO HERNANDO, M. La divulgación científica y los desafíos del nuevo siglo. In: Primer Congresso Internacional de divulgación científica en la USP. Disponível em . Acesso em 10 de dezembro de 2018.

CASCAIS, M. G. A.; TERÁN, A. F. Educação formal, informal e não formal em ciências: contribuições dos diversos espaços educativos. In: XX Encontro de Pesquisa Educacional Norte - Nordeste, 2011, Manaus. Anais do XX EPENN. Manaus: EDUA - UFAM, 2011.

CASTELLS, M. A Galáxia da Internet: reflexões sobre a internet, negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

CASTIEL, L. D.; SANZ-VALERO, J. Entre fetichismo e sobrevivência: o artigo científico é uma mercadoria acadêmica? Cadernos de Saúde Pública, v. 23, n. 12, p. 3041-3050, 2007.

CAZELLI, S.; MARANDINO, M.; STUDART, D. Educação e comunicação em museus de ciência: aspectos históricos, pesquisa e prática. In: Educação e Museu: a construção social do caráter educativo dos museus de ciências. Rio de Janeiro: FAPERJ, Editora Access, 2003.

CUNHA, M. B.; GIORDAN, M. A imagem da ciência no cinema. Revista Química Nova na Escola, v. 31, n. 1, 2009, p. 9-17.

CURTY, M. G.; BOCCATO, V. R. C. O artigo científico como forma de comunicação do conhecimento na área de Ciência da Informação. Perspectivas em ciência da informação, v. 10, n. 1, p. 94-107, 2008.

DIAS, G. R; SILVA, J. M; BENTO, J. I. M; CANTANHEDE, S. C. S; CANTANHEDE, L. B. Textos de divulgação científica: análise e caracterização para utilização no ensino de matemática. Revista Eletrônica de Educação Matemática – REVEMAT, v. 11, n. 1, p. 84-98, 2016.

DOS SANTOS, M. S. Os conflitos entre natureza e cultura na implementação do Ecomuseu Ilha Grande. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 12, p. 381-400, 2005.

DUARTE, J. Da divulgação científica à comunicação. Transinformação, v. 20, n. 2, p. 159- 169, 2004.

ESBÉRARD C. E. L.; JORDÃO-NOGUEIRA, T.; LUZ, J. L.; MELO, G. G. S.; MANGOLIM, R.; JUCÁ, N.; RAÍCES, D. S. L.; ENRICI, M. C.; BERGALLO, H. G. Morcegos da Ilha Grande, Angra dos Reis, RJ, Sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Zoociências, v. 8, n. 2, p. 147-153, 2006.

FARIA, E. T. O professor e as novas tecnologias. Ser professor, v. 5, p. 57-72, 2004.

FERREIRA, L. N. A.; QUEIROZ, S. L. Textos de divulgação científica no ensino de ciências: uma revisão. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 5, n. 1, p. 3-31, 2012.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 51ªed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2015.

GALLO, S. L. Contradições na divulgação de conhecimento científico e cultural. Linguagem em (Dis)curso, v. 11, n. 3, p. 665-688, 2012.

GEISE, L. Apresentando “O canto da Ilha”: o informativo do CEADS. O canto da Ilha, n. 1, p. 5-9, 2017. Disponível em . Acesso em 20 de outubro de 2019.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

GONÇALVES, E. M. Os discursos da divulgação científica - um estudo de Revistas especializadas em divulgar ciência para o público leigo. Brazilian Journalism Research, v. 9, n. 2, p. 210-227, 2013.

HAMILTON, A.; SHENGJI, P.; KESSY, J.; KHAN, A. A.; LAGOS-WITTE, S.; SHINWARI, Z. K. The purposes and teaching of applied ethnobotany. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (UNESCO), 2003.

HISSA, C. E. V. Fronteiras entre ciência e saberes locais: arquiteturas do pensamento utópico. In: IX Colóquio Internacional de Geocrítica, UFRS, Porto Alegre, 2007. Disponível em . Acesso em 20 de novembro de 2018.

IBARRA-COLADO, E. Capitalismo académico y globalización: la universidad reinventada. Educação & Sociedade, v. 24, n. 84, p. 1059-1067, 2003.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Em extensão, v. 7, n. 1, p. 55-66, 2008.

MAIA, K. B. F.; GOMES, A. C. A. Para pensar o fazer e a pesquisa em divulgação científica e jornalismo científico. In: Congresso Brasileiro de Ciências Da Comunicação, UnB, 2006. Disponível em . Acesso em 20 de novembro de 2018.

MANDARINO, M. C. F. Organizando o trabalho com vídeo em sala de aula. Revista Eletrônica em Ciências Humanas, ano 1, n. 1, 2002.

MARINHO, M. L.; ALVES, M. S.; RODRIGUES, M. L. C.; ROTONDANO, T. E. F.; VIDAL, I. F.; SILVA, W. W.; ATHAYDE, A. C. R. A utilização de plantas medicinais em medicina veterinária: um resgate do saber popular. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 9, n. 3, p. 64-69, 2007.

MARQUES, P. S.; GONÇALVES, I. C.; AGUIAR, L. C. Alfabetização científica e os saberes locais: o caso de Vila do Abraão, Ilha Grande-RJ. Atos de Pesquisa em Educação, v. 6, n. 2, p. 521-534, 2011.

MASSARANI, L. Diálogos & Ciência: mediação em museus e centros de Ciência. In: MASSARANI, L.; MERZAGORA, M.; RODARI, P. Rio de Janeiro: Museu da Vida/Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, 2007. 92p.

MASSARANI, L.; MOREIRA, I. D. C. A retórica e a ciência dos artigos originais à divulgação científica. Science (C), p. 1-18, 2005.

MENDONÇA, L. G.; MEIRELLES, B. B.; SILVA, L. A.; MOURA, F. S. P. Luna empoderada canta uma ciência animada: Possibilidades do uso de desenho em sala de aula. V Encontro Nacional de Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente. Anais..., Niterói/RJ, 2018.

MINAYO, M. C. S. Análise Qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 3, p. 621-626, 2012.

MOREIRA, M. A.; SILVEIRA, F. L. S. Instrumentos de pesquisa em ensino e aprendizagem. Porto Alegre: EDIPUCRS. 1993.

NASCIMENTO, T. G. Definições de Divulgação Científica por jornalistas, cientistas e educadores em ciências. Ciência em tela, v. 1, n. 2, p. 1-8, 2008.

NAVARRO-BARBOSA, P. O acontecimento discursivo e a construção da identidade na História. Foucault e os domínios da linguagem: discurso, poder, subjetividade. São Carlos: Claraluz, 2004.

PEREIRA, A. J.; SCHULLER, C. M.; PISKE, K.; TOMIO, D.; TOMAZI, A. L. O que é e quem faz ciência? Imagens sobre a atividade científica divulgadas em filmes de animação infantil. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 11, n. 2, p. 292-306, 2009.

PLACENCIA, S. K. Museus como espaços não-formais de educação: um estudo de caso em Juiz de Fora – MG. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Licenciatura) - Curso de Ciências Biológicas, Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2018.

ROCHA, M. B.; LANDIM JÚNIOR, J. R. Investigação sobre o uso de textos de divulgação científica com estudantes do ensino médio do Cefet/RJ. Revista Conexão UEPG, v. 12, n. 1, p. 78-93, 2016.

SANTOS, W. L. P. D. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 36, p. 474-550, 2007.

SEIXAS, C. S. Abordagens e técnicas de pesquisa participativa em gestão de recursos naturais. Pp. 73-105. In: P.F. VIEIRA; F. BERKES; C.S. SEIXAS. Gestão integrada e participativa de recursos naturais: conceitos, métodos e experiências. Florianópolis, Secco/APED, 2005.

SEMEDO, A. Formação em museologia: círculos e outras geometrias. Anais do Museu Paulista, v. 21, n. 1, p. 49-62, 2013.

SOUZA, D. M. V. Ciência para todos? A divulgação científica em Museus. Ciência da Informação, v. 40, n. 2, p. 256-265, 2011.

VOGT, C. Ciência, comunicação e cultura científica. In: Vogt, C (Org.). Cultura científica: desafios. São Paulo: Universidade de São Paulo; Fapesp. p.19-26. 2006.

WALLDÉN, S.; SORONEN, A. Edutainment: From television and computers to digital television. Tampere: University of Tampere, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542