BICHO DE SETE CABEÇAS: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DA CÉLULA E DA ANATOMIA HUMANA

Andréa Ines Goldschmidt, Dulcinéia da Costa Michel, Liliana Berté Fontana, Carolina Rangel, Willian Brizolla da Silva, Leonardo Ávila Novaes, Camila Tissott

Resumo


O artigo traz o relato de experiência, como parte da vivência dos alunos no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) – Biologia, UFSM, Palmeira das Missões. A pesquisa realizada com 106 estudantes dos 1º e dos 2º anos do Ensino Médio, objetivou elaborar, desenvolver e avaliar uma estratégia didática de modelização, intitulada “Bicho de Sete Cabeças”, para a construção e apreensão de conceitos de biologia celular, tecidual e dos sistemas do corpo humano para o ensino médio. Para tanto, recorreu-se à construção de uma história fictícia, interativa e investigativa, que proporcionasse a manipulação de um modelo didático. Como validação da estratégia, foi aplicado um questionário, contendo questões fechadas, seguindo a Escala de Likert. Os resultados foram categorizados em cinco categorias de análise e mostraram que a estratégia contribuiu para a aprendizagem, se mostrando eficiente como uma proposta complementar ao conteúdo apresentado.

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, C. M. M.; LOPES, L. A.; LOPES, P. T. C. Sequências didáticas eletrônicas no ensino do corpo humano: comparando o rendimento do ensino tradicional com o ensino utilizando ferramentas tecnológicas. Acta Scientiae, v. 17, n. 2, p. 466-482, 2015.

AMORIM, A. S. A influência do uso de jogos e modelos didáticos no ensino de biologia para alunos de ensino médio. Monografia, Universidade Aberta do Brasil – UAB/UECE, Beberibe, Ceará, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARROS, S. S. Educação formal versus informal: desafios da alfabetização científica. In: ALMEIDA, M. J. P. M. et al. (orgs.). Linguagens, leituras e ensino de ciência. Campinas: Mercado de Letras: ALB, 1998.

BORGES, R. M. R.; LIMA, V. M. R. Tendências contemporâneas do ensino de Biologia no Brasil. Revista Eletrônica de Enzeñanza de las Ciências, v. 6, n. 1, 2007.

BRASIL, Portaria GAB nº 259, de 17 de dezembro de 2019, Coordenação De Aperfeiçoamento De Pessoal De Nível Superior, CAPES. Disponível em < http://www.capes.gov.br/images/novo_portal/documentos/regulamento/19122019_Portaria_259_Regulamento.pdf). Acesso em 25 de fevereiro, 2019.

CAMPOS, L. M. L.; BORTOLOTO, T. M.; FELICIO, A. K. C. A Produção de Jogos Didáticos para o Ensino de Ciências e Biologia. São Paulo: UNESP, 2003

CAVALCANTE, D. D.; SILVA, A. F. A. Modelos didáticos e professores: concepções de ensino-aprendizagem e experimentações. In: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química, Curitiba, 2008.

CICILLINI, G. A. Formas de interação e características da fala do professor na produção do conhecimento biológico em aulas de biologia do ensino médio. In: Encontro Nacional De Pesquisa Em Ensino De Ciências, 1, 1997, Águas de Lindóia. Anais.... Porto Alegre: Instituto de Física da UFRGS, 1997. p. 256-263.

CONDE, T. T.; MENDES, L. L.; BAY, M. Utilização de metodologias alternativas na formação dos professores de biologia no IFRO - CAMPUS ARIQUEMES. Revista Labirinto, v. 13, n. 18, p. 139-147, 2013

CUNHA, F. M. Pensamento e ação do professor: tendências no ensino de Ciências. 2006. 167f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência), Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2006.

FIALHO, W. C. G. As dificuldades de aprendizagem encontradas por alunos no ensino de Biologia. Praxia, v. 1, n. 1, 2013.

FONSECA, S. A. R. S. et al. Biologia no ensino médio: os saberes e o fazer pedagógico com uso de recursos tecnológicos. Biota Amazônica, v. 4, n. 1, p. 119-125, 2014.

GUIMARÃES, E. G. et al. O uso de modelo didático como facilitador da aprendizagem significativa no ensino de biologia celular. In: XX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica, XVI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação e VI Encontro de Iniciação à Docência – Universidade do Vale do Paraíba, 2018.

KAWAMOTO, E. M.; CAMPOS, L. M. L. Histórias em quadrinhos como recurso didático para o ensino do corpo humano em anos iniciais do ensino fundamental. Ciência e Educação, v. 20, n. 1, p. 147-158, 2014.

LEITE, A. C. S.; ARCHILHA, R. L.; CARNEIRO, A. L. M. O ensino de ciências no ensino fundamental o PCN de ciências naturais e a atuação em sala de aula uma práxis possível. In: 3º Congresso de Pesquisa do Ensino do SINPROSP. Anais... Milenium Centro de Convenções São Paulo/SP, 2014.

MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. Ciência Hoje, v.28, 2001 p. 64-66

ORLANDO, T. C. et al. Planejamento, montagem e aplicação de modelos didáticos para a abordagem de biologia celular e molecular no ensino médio por graduandos de Ciências Biológicas. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular, n. 1, p. A1- A17, 2009.

PALMERO, R. L. M.; MOREIRA, A. M. Modelos mentales de la estructura y el funcionamento de la célula: dos estúdios de casos. Revista Investigações em Ensino de Ciências, v. 4, n. 2, p. 121-160, 1999.

PAZ, A. M. et al. Modelos e modelizações no ensino: um estudo da cadeia alimentar. Revista Ensaio, v. 8, n. 2, 2006.

RAZERA, J. C. C., BASTOS, F. Compreensão e uso da Proposta Curricular de Biologia (SE/CENP): uma avaliação preliminar realizada na região de Bauru/SP. In: Encontro Nacional De Pesquisa Em Ensino De Ciências, 1., 1997, Águas de Lindóia. Atas... Porto Alegre: Instituto de Física da UFRGS, p. 300-307, 1997.

SANTOS, R. O.; SILVA, P. S.; LIMA, J. L. S. Modelo didático como recurso para o ensino de ciências: sua influência como ferramenta facilitadora no processo de ensino e aprendizagem. Revista Vivências em Ensino de Ciências, v. 2, n. 2, p.177-185, 2018.

SOUZA, S. E. O uso de recursos didáticos no ensino escolar. Arquivos do Museu Dinâmico Interdisciplinar, v. 11, n. 2, p. 110-114, 2007

TANAJURA, V. S. Dificuldades no Ensino em Biologia Celular na Escola de Educação Média: considerações e apontamentos a partir de depoimentos de professores(as). 2017. Dissertação (Mestrado em Educação Para a Ciência), Programa de Pós-Graduação em Educação Para a Ciência, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542