"ISSO É UM CURURU?" APLICATIVO COMO PROPOSTA EDUCATIVA PARA CONSERVAÇÃO DOS ANFÍBIOS ANUROS DO PARQUE ESTADUAL DE DOIS IRMÃOS, RECIFE/PE

Eric Bernardino Gadelha Rocha, Erbert Bernardino Gadelha Rocha, Gilberto Amado de Azevedo Cysneiros Filho, Ednilza Maranhao Santos

Resumo


O Plano de Ação Nacional para as Espécies Ameaçadas da Mata Atlântica Nordestina (PAN), alerta para o risco de extinção das espécies, ele vem estimulando e apoiando propostas educativas conservacionistas nessa região. Seguindo as tendências do uso de recursos digitais conservacionistas, o presente trabalho teve como objetivo desenvolver e validar um recurso digital em formato de aplicativo intitulado “Isso é um Cururu?”. O aplicativo foi desenvolvido utilizando o ambiente de desenvolvimento integrado (IDE, na sigla em inglês) Android Studio e o software Corel DRAW x7 para suportar a criação da interface gráfica. O aplicativo fornecepossibilidades pedagógicas para uso didático que pode colaborar nas ações de pesquisa e educação ambiental, contribuindo para conservação das espécies. A produção desse instrumento teve como base informações primárias (atividades de campo) e secundárias (base literária). Ele traz informações sobre a espécie, como: imagem da espécie, nome científico, nome popular, nível de ameaça estadual e internacional, endemismo, tamanho do animal, distribuição geográfica, localidade, tipo, hábito, habitat, modo reprodutivo e canto de anúncio. O mesmo foi testado por 20 visitantes e quatro monitores no PEDI – Parque Estadual de Dois Irmãos, no dia 18 de janeiro de 2019, tendo 98% de aceitação dos participantes, todavia de 30% desses sugeriram algumas modificações quanto a informação final e essas foram inseridas no material final. Ainda segundo os entrevistados, o diferencial desse aplicativo é a sua acessibilidade e a qualidade dos cantos. Três sequências didáticas foram elaboradas para auxiliar nas atividades educativas no PEDI e o aplicativo encontra-se disponível gratuitamente no Google Play Store.


Texto completo:

PDF

Referências


BAHARUM, A.; RUSLI, N.; SEN, E.; MAT ZAIN, N. H.; AHMAD, I.; OMAR, M. Biodiversity awareness using mobile application: Ikimono Mikke. In: International Conference on Information and Communication Technology Convergence - ICTC, 2017, Jeju. Anais. Jeju, 2017.

CALLUM, Mc. M. Amphibian decline or extinction? Current declines dwarf background extinction rate. Journal of Herpetology, v. 41, n. 3, p. 483–491, 2007.

EY E; FISCHER, J. The “acoustic adaptation hypothesis” – a review of the evidence from birds, anurans & mammals. Bioacoustics, v. 19, n. 1-2, p. 21-48, 2009.

CUNHA, R. G.; TERÁN, A. F. Alfabetização ecológica na educação infantil usando anfíbios anuros em espaços educativos. In: VII Fórum Internacional de Pedagogia de Paratins – FIPED, 2015, Parintins. Anais. Parintins: Universidade Federal do Maranhão (UFMA), 2015.

FARIA, E. S. Evolução da variação intraespecífica em cantos de anúncio de Allobates sp. 2014. 63 f. Dissertação (Mestrado em Biologia) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 2014.

FIUZA, D. Q. R. Objetos Digitais como Ferramentas de sensibilização ambiental. 2013. 50 f. Dissertação (Especialização em Educação Ambiental) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2013.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 14 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GROSSI, M. G. R.; FERNANDES, L. C. B. E. Educação e tecnologia: o telefone celular como recurso de aprendizagem. EccoS – Revista Científica, São Paulo, n. 35, p. 47-65, 2014.

HADDAD, C. F. B.; PRADO, C. P. A. Reproductive modes in frogs and their unexpected diversity in the Atlantic Forest of Brazil. BioScience, Uberlândia, v. 55, p. 207-217, 2005.

HADDAD, C. F. B.; TOLEDO, L. F.; PRADO, C. P. A.; LOEBMANN, D.; GASPARINI, J. L.; SAZIMA, I. Guia dos Anfíbios da Mata Atlântica: Diversidade e Biologia. 1 ed. São Paulo: Editora Anolis Books, 2013.

ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio/MMA, 2018.

ICMBio. Sumário Executivo do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: MMA, p. 75, 2016.

LEE, M. J. W; Mc LOUGHLIN, C. Aproveitar as possibilidades da Web 2.0 e das ferramentas de software social: podemos finalmente tornar a aprendizagem "centrada no aluno" uma realidade. In: J. LUCA; E. WEIPPL (Eds.), Proceedings of ED-MEDIA 2008 - Conferência Mundial sobre Educação Multimídia, Hipermídia & Telecomunicações. p. 3825-3834, 2008, Viena. Anais. Áustria: Associação para o Avanço da Computação na Educação (AACE). 2008.

Mc CALLUM, M. Amphibian decline or extinction Current declines dwarf background extinction rate. Journal of Herpetology, v. 41, n. 3, p. 483–491, 2007.

MORAES, M. C. Subsídios para Fundamentação do Programa Nacional de Informática na Educação. 1 ed. Brasília: Secretaria de Educação à Distância, Ministério da Educação e Cultura, 1997.

NOSOLINE, I. M. Avaliação do uso das geotecnologias como recurso didático nas aulas de Geografia. 2011. 191 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.

PEREIRA, E. N.; SANTOS, E. M.; RODRIGUES, M. F. Guia dos Anfíbios do Parque Estadual de Dois Irmãos. 1 ed. Recife: EDUFRPE, 2016.

PIMENTA, B.; HADDAD, C. F. B.; NASCIMENTO, L.; CRUZ, C. A. G.; POMBAL Jr, J. Comment on “status and trends of amphibian declines and extinctions worldwide”. Science, vol. 309. 2005.

PIZA, A. A. P.; TERÁN, A. F. O uso de um espaço não formal para o ensino de ciências: proposta metodológica para a conservação de recursos hídricos. In: BARBOSA, Maria das Graças Vale. Avanços e Desafios em Processos de Educação em Ciências na Amazônia. 1 ed. Manaus: UEA/Escola Normal Superior/PPGEECA, 2011. p. 185-187.

POUGH, F. H.; JANIS, C.; HEISER, J. A Vida dos Vertebrados. 4 ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2008.

RAMOS, J.; TEODORO, V. D.; FERREIRA, F. M. Recursos educativos digitais. Reflexões sobre a prática. In: Cadernos SACAUSEF VII. Editora: Ministério da Educação - Direção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, v. 8, 2011, p. 11-34.

RIBEIRO, C. D. L.; RIBEIRO, P. P.; IRIAS, N. G.; SILVA, M. T.H. Educação Ambiental: Desvendando a concepção das crianças em relação aos anfíbios anuros. Revista Mediação, v. 1, p. 54-65, 2012.

ROCHA, S. C. B. A escola e os espaços não-formais: possibilidades para o ensino de ciências nos anos iniciais do ensino fundamental. Dissertação (Mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia) Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, 2008.

ROCHA, L. A. G.; CRUZ, F. M.; LEÃO, A. L. Aplicativo Para Educação Ambiental. Fórum Ambiental da Alta Paulista, São Paulo, v. 11, n. 4, p. 261-273, 2015.

ROCHA, S. C. B.; TERÁN, A. F. O uso de espaços não formais como estratégia para o ensino de ciências. Manaus: UEA Edições, 2010. p. 91-94.

RODRIGUES, G. S. S. C.; COLESANTI, M. M. Educação Ambiental e as novas tecnologias de informação e comunicação. Sociedade & Natureza, Uberlândia, vol. 20, n. 1, p. 51-66, jun. 2008.

SANTANA, R. C. M.; VIEIRA, L. S. L.; RIBEIRO, G. A. M.; SONDERMANN, D. V. C.; NOBRE, I. A. M. O uso de tecnologias móveis no ensino de ciências: uma experiência sobre o estudo dos ecossistemas costeiros da mata atlântica sul capixaba. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. 4, p. 2234-2244, 2016.

SANTOS, M. A natureza do espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. 4 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SANTOS, A. L.; ROSA, O. O uso de aplicativos como recurso pedagógico para ensino de Geografia. In: XVIII Encontro Nacional de Geógrafos, 18, 2016, São Luís. Anais. São Luís: Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – MA (IFMA), 2016.

SEMAS - Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade. Plano De Manejo Do Parque Estadual De Dois Irmãos. 1 ed. Recife: SEMAS, 2014.

SEGALLA, M.; CARAMASCHI, U.; CRUZ, C. A. G.; GARCIA, P. C.; GRANT, T.; HADDAD, C. F. B.; LANGONE, J. Brazilian Amphibians: List of Species. Herpetologia Brasileira, São Paulo, v. 5, n. 2, 2016.

SILVA, L. G. P. Caracterização Da Preensão De Crianças Típicas Com Idade Entre 5 E 10 Anos. 2015. 84 f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.

STATCOUNTER. Participação no mercado do sistema operacional em todo o mundo. 2020. Disponível em: < https://gs.statcounter.com/os-market-share>. Acesso em: 21 fev. 2020.

VIELLIARD, J. A diversidade de sinais e sistemas de comunicação sonora na fauna brasileira. In: Seminário Música Ciência Tecnologia: Acústica musical. São Paulo: Universidade de São Paulo (USP), 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE
ISSN: 2526-9542