SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE CLONAGEM E FERMENTAÇÃO: UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-AÇÃO NO ENSINO DE CIÊNCIAS

Daniele Bremm, Roque Ismael da Costa Güllich

Resumo


O presente artigo apresenta uma proposta de Sequência Didática (SD) sobre as temáticas: Clonagem e Fermentação, para o ensino de conceitos ligados à Teoria Celular, ao primeiro ano do Ensino Médio (EM), de forma a facilitar o ensino desses conceitos e desmistificar concepções equivocadas. O desenvolvimento deste produto educacional ocorreu durante o mestrado acadêmico em Ensino de Ciências. As apostas para a produção dessa SD apresentam o diálogo entre a utilização de Textos de Divulgação Científica (TDC), do processo de Experimentação Investigativa e da Investigação-Formação-Ação em Ensino de Ciências (IFAEC), que possui como princípios: os movimentos reflexivos e aprofundamentos investigativos. Para além disso, a SD segue o referencial de Zabala, permitindo a realização do processo de ensino de forma a atingir as dimensões: conceitual, procedimental e atitudinal em relação ao conteúdo. Nossa análise aponta para a importância da IFAEC como mecanismo para desencadear a construção de conhecimentos, valorizando as vivências dos alunos, seus argumentos e instigando a reflexões críticas durante todo o processo de ensino.


Texto completo:

PDF

Referências


ANASTASIOU, L. das G. C.; ALVES, L. P. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 8. ed. Joinville: UNIVILLE, 2009.

BERVIAN, P. V. Processo de Investigação-Formação-Ação docente: uma perspectiva de constituição do conhecimento tecnológico pedagógico do conteúdo. Orientadora: Maria Cristina Pansera de Araújo. 2019. 223 f. Tese (Doutorado) - Curso de Educação nas Ciências, Unijuí, Ijuí, 2019.

BERVIAN, P. V.; PANSERA-DE-ARAÚJO, M. C. Processo de Investigação-Formação-Ação Docente: uma Perspectiva de Constituição do Conhecimento Tecnológico Pedagógico do Conteúdo. Revista de Educación en Biología, v. 23, n. 1, p. 90–96, 2020. Disponível em: https://revistas.unc.edu.ar/index.php/revistaadbia/article/view/28071 Acesso em: 28, jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretária do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio. Brasília/DF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2019. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 06 jun. 2020.

BREMM, D.; GÜLLICH, R. I. C. Sistematização de experiências: conceito e referências para formação de professores de Ciências. Revista da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 8, n. 3, p. 553-573, 2020.

CAMPOS, M. C. da C.; NIGRO, R. G. Teoria e Prática em Ciências na Escola: o ensino-aprendizagem como investigação. São Paulo: FTD, 2009.

CARNEIRO, C.S. et al. Leites fermentados: histórico, composição, características físico-químicas, tecnologia de processamento e defeitos. PUBVET, Londrina, v. 6, n. 27, 2012. Disponível em: https://www.pubvet.com.br/uploads/c13748843820239654f9d6caafc4bd37.pdf Acesso em: 5, maio 2021.

CARVALHO, A. M. P. et al. Ciências no Ensino Fundamental: o conhecimento físico. São Paulo: Scipione, 2007.

COLPO, C. C.; WENZEL, J. S. Uma revisão acerca do uso de textos de divulgação científica no Ensino de Ciências: inferências e possibilidades. Alexandria, v. 14, p. 3-23, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1982-5153.2021.e67344 Acesso em: 20, jul. 2021.

CUNHA, M. B; GIORDAN, M. A divulgação científica na sala de aula: implicações de um gênero. In: CUNHA, M. B., GIORDAN, M. (Orgs). Divulgação Científica na sala de aula: Perspectivas e Possibilidades. Ijuí: Ed. Unijuí, 2015, 360p.

FAGUNDES, S. M. K. Experimentação nas aulas de Ciências: um meio para a formação da autonomia? In: GALIAZZI, Maria do Carmo et al. Construtivismo curricular em rede na educação em ciências: uma aposta de pesquisa na sala de aula. Ijuí: Unijuí, 2007. p. 317-336.

FERREIRA, L. N. A.; QUEIROZ, S. L. Textos de Divulgação Científica no Ensino de Ciências: uma revisão. Alexandria, v. 5, n. 1, p. 3-31, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37695 Acesso em: 02, jun. 2021.

FONSECA, C. M. F da.; COSTA. A. M. F da.; NASCIMENTO. J. M do. Formação e saberes docentes na educação profissional: Um relato de experiência. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, v. 3, n. 7, p. 78-84, 2017. Disponível em: http://natal.uern.br/periodicos/index.php/RECEI/article/view/927 Acesso em: 4, jun. 2021

GUARDA, N. G.; LUZ, T. N.; RODRIGUES, T.; BELTRAME, L. M. A roda de conversa como metodologia educativa: o diálogo e o brincar oportunizando o protagonismo infantil na sala de aula. Educere, 2017. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/26991_13947.pdf Acesso em: 4 jun. 2020.

GÜLLICH, R. I. C. Investigação-formação-ação em Ciências: um caminho para reconstruir a relação entre livro didático, o professor e o ensino. 1ª. ed. Curitiba - PR: Prismas, 2013. v. 1. 320p.

GÜLLICH, R. I. C. O que tem a nos ensinar o processo de germinação do Feijão? Revista Insignare Scientia, v. 2, p. 240-254, 2019.

IMBERNÓN, F. Formação docente e Profissional: Formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2001.

MOTTA, C. S. et al. Experimentação Investigativa: indagação dialógica do objeto aperfeiçoável. In: IX Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências (ENPEC), Anais [...], 2013. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/ixenpec/atas/resumos/R1187-1.pdf Acesso em: 12, fev. 2019.

NASCIMENTO JÚNIOR, A. F.; SOUZA, D. C. A busca das ideias estruturantes da biologia na história do estudo dos seres vivos no século XIX. Theoria - Revista Eletrônica de Filosofia, v. 8, n. 19, p. 58-88 2016. Disponível em: https://www.theoria.com.br/edicao19/04012016RT.pdf Acesso em: 20 abr. 2021.

RADETZKE, F. S.; GÜLLICH, R.I.C.; EMMEL, R. A constituição docente e as espirais autorreflexivas: investigação-formação-ação em ciências. Vitruvian Cogitationes, Maringá, v. 1, n. 1, p. 65-83, 2020. Disponível em: https://rvc.inovando.online/uploads/artigos/65-83-artigo-uffs_arquivo17_1611079720.pdf Acesso em: 22 fev. 2021

ROSITO, B. A. O Ensino de Ciências e a experimentação. In Moraes, R. (Org.). Construtivismo e Ensino de Ciências: reflexões epistemológicas. 3. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. p. 195-208.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. de. Alfabetização Científica: uma revisão bibliográfica. Revista Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/246/172 Acesso em: 13 maio 2021.

SILVA, L. H. A. A perspectiva histórico-cultural do desenvolvimento humano: ideias para estudo e investigação do desenvolvimento dos processos cognitivos em ciências. In: Roque Ismael da Costa Güllich. (Org.). Didática das Ciências. Curitiba/PR: Prismas, v. 1, 2013, p. 11-32.

STADLER, J. P.; HUSSEIN, F. R. G. S.; MARQUES, C. A. Proposta de intervenção didática para a discussão de aspectos sociocientíficos a partir do ENEM: possibilidades para a formação cidadã nas aulas de química. Revista do Programa de Pós-Graduação em Ensino, v. 5, n. 1, p. 59-78, 2021. Disponível em: http://seer.uenp.edu.br/index.php/reppe/article/view/2025 Acesso em: 13, jul. 2021.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ZABALA, A. A prática educativa. Porto Alegre: ARTMED, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE
ISSN: 2526-9542