O MÉTODO FENOMENOLÓGICO E A UNIVERSALIDADE DE ESSÊNCIAS - UMA ABORDAGEM ACERCA DA PERCEPÇÃO DOS JUÍZES NO CAMPO DA EFETIVAÇÃO DO DIREITO AO MÍNIMO EXISTENCIAL.

Charles Silva BARBOSA

Resumo


A experiência, que viabiliza tão somente o contingente e o singular, não fornece à ciência o princípio universal e necessário de uma afirmação semelhante. O empirismo não pode ser compreendido pelo empirismo. O pensar fenomenológico é, antes de método, um estilo de vida orientado a viabilizar a compreensão da universalidade de essências e a relação entre subjetividade e intersubjetividade, justamente para que se possa perceber o Eu no Outro e o Outro que reside no Eu. O retorno às coisas mesmas constitui etapa fundamental para a construção de soluções mais adequadas aos problemas que afligem a sociedade, sobretudo nas questões que envolvem os direitos sociais e o mínimo existencial. No embate entre necessidade e poder, o retorno à essência mesma das coisas permite ao juiz encontrar os fundamentos necessários para encontrar a solução mais adequada à solução dos conflitos sociais.


Texto completo:

PDF

Referências


BONAVIDES, Paulo. Ciência Política. São Paulo: Malheiros, 2007.

CALAMANDREI, Piero. Eles, os juízes, vistos por um advogado. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

CERQUEIRA, Nelson. Hermenêutica e Literatura. Bahia: Cara, 2003.

HABERMAS, Jürgen. La logica de las ciencias sociais. Madrid: Technos, 2008.

HÄBERLE, Peter. La Garantia del Contenido Esencial de los Derechos Fundamentales”. Madrid: DYKINSON, 2003.

HEIDEGGER, Martin. O fim da filosofia ou a questão do pensamento. Tradução, introdução e notas de Ernildo Stein. São Paulo: Duas Cidades, 1972.

HUSSERL, Edmund. Ideen zu einer reinen Phänomenologie und phänomenologischen Philosophie. Hambuirg: Felix Meiner Verlag GmbH: 2009.

______. Meditaciones Cartesianas. México: Fondo de Cultura Economica, 1985.

LYOTARD, Jean-F. La phénoménologie. França: Presses Universsitaires de France, 1954.

MERLEAU-Ponty, Maurice. Fenomenologia da Percepção. Tradução de Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

PAMPLONA FILHO, Rodolfo. O Mito da Neutralidade do Juiz como elemento de seu Papel Social in “O Trabalho. O Trabalho, Curitiba, n. 16, p. 368-375, 1998.

PIZZI, Jovino. O mundo da vida: Husserl e Habermas. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2006.

Programa de Mestrado em Ciência Jurídica da UENP

SCHELER, Max. Philosophische Weltanschauung. München: Francke Verlag Bern,

SILVA NETO, Manoel Jorge e. O Princípio da Máxima Efetividade e a Interpretação Constitucional. São Paulo: Ltr: 1999

TÖNNIES, Ferdinand. Principios de Sociologia. México: Fondo de Cultura Economica, 1942.

TÖNNIES, Ferdinand. Community and Society. Michigan-USA: Michigan State University Press, 1957.




DOI: http://dx.doi.org/10.35356/argumenta.v13i13.176

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista Argumenta

 A Revista Argumenta está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:
DOAJ DRJILivre! Proquest EBSCO  DIADORIM IBICT LAINDEX

 

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil