INCLUSÃO SOCIAL POR MEIO DA EDUCAÇAO BÁSICA – EMENDA CONSTITUCIONAL N. 53/ 2006 (FUNDEF E FUNDEB) versus SIMBOLISMO CONSTITUCIONAL: UMA TENTATIVA DE AVANÇO COM UMA ROUPAGEM SIMBÓLICA

Marisa Rossinholi, Dirceu Pereira Siqueira

Resumo


O presente artigo apresenta uma análise do conceito de direitos fundamentais e sociais e do direito à educação na Constituição Federal de 1988. Aborda discussões sobre a previsão constitucional e os elementos para sua efetividade. A inclusão social e o direito à educação são discutidos como elementos que obtiveram avanços no texto constitucional de 1988. O objetivo, ao analisar os resultados parciais obtidos com a Emenda Constitucional n. 53/06 que estabeleceu o FUNDEB, é verificar avanços e limites para a efetivação deste direito. Apresentam-se os principais elementos de crítica ao FUNDEF, o estabelecimento do FUNDEB bem como da Emenda Constitucional n. 59/09 que estabeleceu o direito à educação das pessoas de 04 à 17 anos. Discute-se a questão do simbolismo de tal previsão, vez que tal previsão não poderá ocorrer apenas no plano legislativo, devendo concretizar-se no plano material. Os resultados apresentados demonstram avanços no financiamento da educação, mas conclui que os mesmos ainda apresentam-se aquém no necessário.


Texto completo:

PDF

Referências


ALARCON, Pietro de Jesús Lora. Processo, igualdade e justiça. Revista brasileira de direito constitucional. São Paulo, v.2, 2003.

________; NUNES, L. N. B. T. Constituição e inclusão social. Bauru: Edite. 2007.

ALEXY, R. Teoria de los derechos fundamentales. Madri: Centro de Estúdios Políticos y Constitucionales, 2002.

Programa de Mestrado em Ciência Jurídica da UENP 243

ARAUJO, L. A. D.; NUNES JUNIOR, V. S. Curso de Direito Constitucional. 14 ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2010.

ARELARO. G. A municipalização do ensino no Estado de São Paulo: antecedentes históricos e tendências. In: OLIVEIRA, C. et. al. (Org.). Municipalização do ensino no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 61 - 89.

ARRETCHE, M. Relações federativas nas políticas sociais. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 23, n. 80, p. 25 - 48, set. 2002.

ATIQUE, A. L. V. Federação e competência para legislar: estudo de um caso. Bauru, SP: Edite, 2006.

BARROSO, L. R.. O direito constitucional e a efetividade de suas normas: limites e possibilidades da Constituição brasileira. 8 ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Atualizada até a EC nº 59 de 11 de novembro de 2009. Brasília, DF: Senado, 2009.

______. Lei 11.494 de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 jun. 2007. p. 000007.

______. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Censo Escolar 2006. Brasília, DF, 2006.

______. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Censo escolar 1997. Brasília, DF, 1997.

CARRAZZA, A. R. Curso de direito tributário. 10ª ed. São Paulo: Malheiros, 1997.

CALLEGARI, C. O FUNDEF e a municipalização do ensino fundamental no Estado de São Paulo. São Paulo: Aquariana, 2002.

COELHO, Paulo Magalhães da Costa; MATIAS, Matheus Ricardo Jacon. Fundamentos filosóficos dos deveres de inclusão. In: ARAUJO, Luiz Alberto David; RAGAZZI, José Luiz (Coord.). A proteção da pessoa portadora de deficiência um instrumento de cidadania. Bauru: Edite, 2006.

CURIONI, Rossana Teresa. Pessoas Portadoras de Deficiência: inclusão social no aspecto educacional. Uma realidade? Direito da Pessoa Portadora de Deficiência: uma tarefa a ser completada Bauru: EDITE, 2003.

Programa de Mestrado em Ciência Jurídica da UENP

DAVIES, N. FUNDEB: a redenção da educação básica? Educação e Sociedade, Campinas. v. 27, n. 96, p.753 - 774, out., 2006.

DIMOULIS, D. (coord.). Dicionário brasileiro de direito constitucional. São Paulo: Saraiva, 2007.

FÁVERO, Eugênia Augusta Gonzaga. Direitos das Pessoas com Deficiência – garantia de igualdade na diversidade. Rio de Janeiro: WVA, 2004.

FERNANDES, F. Dicionário brasileiro globo. 38 ed. São Paulo: Globo. 1995.

FIGUEIREDO, L.V. Curso de direito administrativo. 5 ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Malheiros, 2001

GOMES, Joaquim B. Barbosa. Ações afirmativas e princípio constitucional da igualdade: o direito como instrumento de transformação social – a experiência dos Estados Unidos. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

HARGER, M. Princípios constitucionais do processo administrativo. Rio de Janeiro: Forense, 2001.

LOPES, M. A. R.. Garantia de acesso à justiça: assistência judiciária e seu perfil constitucional. In: TUCCI, J. R. C. (coord.). Garantias constitucionais do processo civil. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.

MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Conteúdo jurídico do princípio da igualdade.

ª ed. atual. 11ª tirag. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.

MINHOTO, Antonio. Constituição, minorias e inclusão social. São Paulo: Rideel. 2009.

NEVES, M. A constitucionalização simbólica. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.

NUNES JUNIOR, V. S. A cidadania social na Constituição de 1988: estratégias de positivação e exigibilidade dos direitos sociais. São Paulo: Editora Verbatim, 009.

OLIVEIRA, R. P. Dossiê educação. Estudos Avançados. São Paulo: Universidade de

São Paulo; Instituto de Estudos Avançados, 2001. p. 9 - 101.

ROSSINHOLI, M. Política de financiamento da educação básica no Brasil: do FUNDEF ao FUNDEB. Brasília: Líber livro, 2010.

ROTHENBURG, W. C.. Direito constitucional. São Paulo: Editora Verbatim, 2010. SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL – STN. FUNDEF- Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, ano 1, n.1. a n. 12. Brasília, 1998. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2007.

SENA, P. Os nós do financiamento à educação. Brasília, DF: Consultoria Legislativa; Câmara dos Deputados, 2003.

SIQUEIRA, D. P. Tutela coletiva do direito à saúde. Franca: Lemos e Cruz, 2010.

________; GOTTEMS, C. J. Direitos fundamentais: da normatização à efetividade nos 20 anos de Constituição brasileira. Birigui: Boreal, 2008.

________; PICCIRILO, M. B. Inclusão social e direitos fundamentais. Birigui: Boreal, 2009.

WERNECK, Claudia. Ninguém mais vai ser bonzinho na sociedade inclusiva. 2ª. ed., Rio de Janeiro: WVA, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.35356/argumenta.v13i13.182

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista Argumenta

 A Revista Argumenta está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:
DOAJ DRJILivre! Proquest EBSCO  DIADORIM IBICT LAINDEX

 

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil