VIVENDO NO TEMPO DOS MERCADOS: O DESAFIO DA EMANCIPAÇÃO PELO DIREITO

Henrique Weil Afonso

Resumo


O objetivo desta pesquisa é investigar, desde um prisma histórico, a relação entre regulação jurídica e reprodução social. A questão da mercantilização da sociedade tem conquistado considerável atenção em décadas recentes. Enquanto cientistas sociais atualizam a análise polanyiana dos mercados regulados e desregulados no intuito de compreender a crise da reprodução social contemporânea, torna-se relevante situar tais esforços sob a lente histórica. Ao focar na ideia de uberização do trabalho e no trabalho do care, a pesquisa considera, no caso do primeiro, possíveis maneiras pelas quais formais contemporâneas de trabalho são prejudiciais à manutenção do tecido social e, no caso do segundo, meios de perpetuação e reprodução de duradouras formas de violência

Palavras-chave


História do Direito. Trabalho contemporâneo. Uberização. Regulação e Desregulação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABÍLIO, Ludmila Costhek. Uberização: a era do trabalhador just-in-time? Estudos Avançados, vol. 34, no. 98, p. 111-126, 2020.

ANTUNES, Ricardo. The New Service Proletariat. Monthly Review, vol. 69, no. 11, p. 23-29, 2018.

DAVIS, Mike. Planet of Slums. Nova Iorque: Verso, 2006.

DUSSEL, Enrique. 1492: o encobrimento do outro. A origem do mito da modernidade. Petrópolis: Editora Vozes, 1993.

ESTADÃO. Apps como Uber e Ifood se tornam o “maior empregador do Brasil”. O

Estado de S. Paulo. São Paulo, 28.4.2019. Disponível em: Acesso: 15 de outubro de 2020.

FLEMING, Peter. The Human Capital Hoax: Work, Debt and Insecurity in the Era of Uberization. Organization Studies, vol. 38, no. 5, p. 1-19, 2017.

FRASER, Nancy. Contradiction of Capital and Care. New Left Review, vol. 100, p. 99-117, 2016.

FRASER, Nancy. Marketization, Social Protection, Emancipation: Toward a Neo-Polanyian Conception of Capitalist Crisis. CALHOUN, Craig; DERLUGUIAN, Georgi (Orgs.). Business as usual: the roots of global financial meltdown. New York: New York University Press, p. 137-158, 2011.

FRASER, Nancy. Scales of Justice – Reimagining Political Space in a Globalizing World. New York: Columbia University Press, 2010.

FREIJE, Samuel. Informal Employment in Latin America and the Caribeean: Causes, Consequences and Policy Recommendations. Sustainable Development Department. Labor Markets Policy Briefs Series. Interamerican Development Bank, 2002. Disponível em: . Acesso: 28/08/2020.

HARTOG, François. Regimes de Historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

HIRATA, Helena. Subjetividade e sexualidade no trabalho de cuidado. Cadernos Pagu, vol. 46, p. 151-163, 2016a.

HIRATA, Helena. Care Work: a comparison of Brazil, France and Japan. SUR – International Journal on Human Rights, vol. 13, no. 24, p. 53-63, 2016b.

JODHKA, Surinder; REHBEIN, Boike; SOUZA, Jessé. Inequality in Capitalist Societies. New York: Routledge, 2018.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Ed. Contraponto/PUC-Rio, 2006.

LISBOA, Armando de Melo. A atualidade de Karl Polanyi para a reconstrução do pensamento econômico. Otra Economía, vol. II, no. 3, p. 7-26, 2008.

LOUGHLIN, Martin; WALKER, Neil. Introduction. In: LOUGHLIN, Martin; WALKER, Neil (eds.). The Paradox of Constitutionalism: Constituent Power and Constitutional Form. Oxford: Oxford University Press, 2007, p. 1-8.

LOUREIRO, Uriel Paranhos; FONSECA, Bruno Gomes Borges. Crowdwork e o trabalho on demand: a morfologia do trabalho no início do século XXI. Argumenta Law Journal, no. 32, p. 175-190, jan/jun 2020.

MUNCK, Ronaldo. The Precariat: a view from the South. Third World Quarterly, vol. 34, no. 5, p. 747-762, 2013.

OST, François. O tempo do direito. Lisboa: Instituto Piaget, 1999.

PATEL, Raj; MOORE, Jason. A History of the World in Seven Cheap Things. A Guide to Capitalism, Nature, and the Future of the Planet. Oakland: California University Press, 2017.

POLANYI, Karl. A Grande Transformação – as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012a.

POLANYI, Karl. A subsistência do homem e ensaios correlatos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012b.

READ, Jason. Primitive Accumulation: The Aleatory Foundation of Capitalism. Rethinking Marxism, vol. 14, no. 2, p. 24-48, 2002.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter. Consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. 14a ed. Rio de Janeiro: Editora Record, 2009.

SOUZA, Jessé. Em defesa da sociologia: o economicismo e a invisibilidade das classes sociais. Revista Brasileira de Sociologia, vol. 1, no. 1, p. 127-158, Jan/Jul 2013.

TEUBNER, Gunther. Fragmented Foundations: Societal Constitutionalism beyond the Nation State. DOBNER, Petra; LOUGHLIN, Martin (eds.). The Twilight of Constitutionalism?. Oxford: Oxford University Press, p. 327-341, 2010.

TULLY, James. Strange Multiplicity: Constitutionalism in an age of diversity. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

VOCÊ NÃO ESTAVA AQUI. Direção de Ken Loach. Londres: BBC Films, Canal+, France Télévisions, France 2, Ciné+, Wild Bunch, Sixteen Films, 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.35356/argumenta.v0i38.2222

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Argumenta Journal Law

 A Revista Argumenta está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:
DOAJ DRJILivre! Proquest EBSCO  DIADORIM IBICT LAINDEX

 

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil