POVO E PODER REFORMADOR: PREMISSAS DE LEGITIMIDADE

Luiz Edson FACHIN

Resumo


O artigo analisa, fazendo um resgate histórico desde o século XVIII até os dias atuais, algumas premissas de legitimidade do poder reformador centrada em base ética e democrática no sistema constitucional brasileiro contemporâneo. Destaca também a crise que se anuncia com a confusão entre poder constituinte e os poderes constituídos e, defendendo a constituição das agressões que hodiernamente sofre, considera que o poder reformador constituído deve guardar
coerência com a vontade política da maioria, sendo o poder constituinte, compreendido em sincronia com esta vontade, sentido e norte de toda experiência jurídica. Por fim, esclarece ser imperiosa a defesa da soberania do povo brasileiro, ampliando os espaços de participação popular, e garantindo o funcionamento legítimo das instituições democráticas do Estado de Direito, a fim de superar as desigualdades materiais e estruturais da sociedade brasileira.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Luiz Alberto David. Curso de Direito Constitucional.São Paulo: Saraiva, 2001.

BONAVIDES, P. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001.

CANOTILHO, J. J. G. Curso de Direito Constitucional e Teoria da Constituição. Coimbra: Almedina, s.d.

COMPARATO, F. K. Legitimidade do Poder de Reforma Constitucional. In: Revista de Direito Público: estudos e pareceres. São Paulo: Saraiva, 1996.

DANTAS, Ivo. Curso de Direito Constitucional Positivo. 15ª edição. São Paulo: Malheiros, 1998

DERRIDA, J. Force of Law. Cardoso Law Review. Vol. 11. jul/ago 1990.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Direito constitucional comparado, I — O Poder Constituinte.

HESSE, K. A Força Normativa da Constituição. Porto Alegre: Sérgio Fabris, 1991.

KUHN, T.S. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Perspectiva, 1998.

MALBERG, Carré. Contribution à la Theorie Génerale de l´État. Paris, 1922.

MARTIN, Carlos de Cabo. La Reforma constitucional en la perspectiva de las fuentes Del Derecho. Madrid: Editorial Trotta.2003.

MATURANA, H. & VARELA, F. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001.

NEGRI, A. O Poder Constituinte: ensaio sobre alternativas da modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

SCHMITT, K. Teoria de La Constituición. Madrid: Tecnos, s.d.

SILVA, J. A. Curso de Direito Constitucional Positivo. São Paulo: Malheiros, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.35356/argumenta.v6i6.57

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista Argumenta

 A Revista Argumenta está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem:
DOAJ DRJILivre! Proquest EBSCO  DIADORIM IBICT LAINDEX

 

ARGUMENTA JOURNAL LAW

Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica

E-mail : argumenta@uenp.edu.br
Telefone/fax 4335258953
Horário de atendimento de segunda-feira à sexta-feira 14 às 17h e das 19 às 23h e nos sábados das 08 até 12h
Endereço: Av. Manoel Ribas, 711 - 1º andar
Jacarezinho PR - 86400-000 - Brasil