CIÊNCIAS PARA CRIANÇAS: TRABALHANDO COM A TEMÁTICA SOL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Catia Cilene Saraiva Avero, Márcia Maria Lucchese

Resumo


Na tentativa de revisitar as práticas pedagógicas para uma atuação de forma ativa, que envolva informações e conhecimentos pertinentes, a fim de que a criança possa desenvolver habilidades e potencialidades que contribuam para uma visão de mundo e para a compreensão dos fenômenos observados, elaborou-se a produção educacional “Ciências para crianças: trabalhando com o tema Sol na educação infantil”. A produção foi elaborada na forma de uma sequência de atividades relacionadas ao ensino de Ciências, construídas à luz da Teoria de Jean Piaget e usando como temática o Sol. O objetivo das atividades propostas foi explorar conceitos de Ciências na educação infantil para crianças de 3 a 4 anos, para que também pudessem observar seu ambiente com um novo olhar. Adotaram-se situações e experiências que favorecessem a observação, a linguagem, a participação e o envolvimento das crianças durante as práticas pedagógicas, possibilitando a construção do conhecimento. As atividades trabalhadas foram: o Sol como fonte de vida e calor; cuidados com a exposição solar; o dia e a noite; a formação da sombra; visita ao Planetário; e momentos lúdicos (elaboração e contação de histórias e noite do pijama). Após as atividades, concluiu-se que a metodologia e a sequência propostas pela professora favoreceram a aquisição do conhecimento sobre os fenômenos físicos trabalhados para a idade em questão e propiciaram às crianças um novo olhar sobre o seu entorno.


Texto completo:

PDF

Referências


ARCE, Alessandra et al.; SILVA, D; VAROTTO, M. Ensinando ciências na educação infantil. Campinas: Editora Alínea, 2011.

AVERO, Cátia C. Saraiva. Ciências para crianças: trabalhando com o tema Sol na Educação Infantil. 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade Federal do Pampa, Bagé, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998. v. 3

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC/SEB, 2010.

CASTELL, Cleusa P. Pela linha do tempo do desenho infantil: um caminho trans estético para o currículo integrado. Rio Grande: FURG, 2012.

DAMIANI, Magda F. et al. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Caderno de Educação, Pelotas, n. 45, maio/ago. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/3822. Acesso em: 14 abr. 2021.

DEWEY, John. Escola e a sociedade e a criança e o currículo. Lisboa: Relógio d´água, 2002.

ESHACH, Haim. Ciência de alfabetização: nas escolas primárias e pré-escolas. Holanda: Springer, 2006.

LOURENÇO, Rosemeire de S.; R; PALMA, Ângela P. Teixeira. O conflito cognitivo como princípio pedagógico no processo ensino pedagógico nas aulas de Educação Física. Revista de Educação do Cogeime, Belo Horizonte, no 14, n. 27, dez. 2005. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-cogeime/index.php/COGEIME/article/download/650/594. Acesso em: 12 abr. 2021.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO)., A criança descobrindo, interpretando e agindo sobre o mundo. Brasília, DF: UNESCO, Banco Mundial, Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, 2005. (Série Fundo do Milênio para a Primeira Infância - Cadernos Pedagógicos, 2).

PIAGET, Jean. A equilibração das estruturas cognitivas. Rio de Janeiro: Zahar,1976.

PIAGET, Jean. Epistemologia genética. Tradução de Álvaro Cabral. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

PIAGET, Jean. Seis estudos de psicologia. Tradução de Maria Alice Magalhães D´Amorim e Paulo Sergio Lima Silva. 24. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

SÁ, Joaquim. A abordagem experimental das ciências no jardim de infância e 1º ciclo do ensino básico: sua relevância para o processo de educação científica nos níveis de escolaridade seguintes. Inovação, [s. l.], v. 13, n. 1, p. 57-67, 2000.

WADSWORTH, Barry. Inteligência e afetividade da criança. 4. ed. São Paulo: Enio Matheus Guazzelli, 1996.

WEIL-BARAIS, A. Los constructivismos y la didactica de las ciencias. Perspectivas, [s. l.], v. 31, n. 2, p. 197-207, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542