BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO, PRODUÇÃO E PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS E INFORMAÇÕES DE PROPRIEDADES NUTRICIONAIS: GUIA DIDÁTICO PARA A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

Flávia da Rosa Silveira, Ana Sara Castaman

Resumo


A presente investigação teve como objetivo compreender conceitos e fundamentos de boas práticas de manipulação, produção e processamento de matérias primas e informações de propriedades nutricionais, com a finalidade de produzir um produto educacional para ser utilizado no processo de ensino-aprendizagem. Classifica-se enquanto aplicada de abordagem qualitativa e quantitativa, delimitada por meio de procedimentos técnicos bibliográficos e de campo. Apresenta-se como campo o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense, Campus Santa Rosa do Sul e como universo 102 estudantes do primeiro ano do curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio, bem como três servidores. Para a coleta de dados utilizou-se entrevista e questionários, além da observação participante. Para compreender as significações do material coletado, recorreu-se à análise de conteúdo. Como parte desta pesquisa, foi elaborado, aplicado e avaliado um produto educacional: um guia didático em formato e-book. Neste sentido, o artigo está dividido em 4 partes: a) trata dos conceitos, classificação e ensino da/na agroindústria e discute a respeito das boas práticas de fabricação de alimentos e das informações e propriedades nutricionais na escola; b) apresenta os procedimentos metodológicos c) analisa e discute os dados, bem como apresenta o guia didático; d) trata das considerações finais. Verificou-se que o produto educacional facilitou o processo de ensino-aprendizagem na Unidade Curricular de Agroindústria e que é importante ser mediado para as instituições da Educação Profissional e Tecnológica.


Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS GUERRA, E. L. A. Manual de Pesquisa Qualitativa. Grupo Ânima Educação: Belo Horizonte, 2014.

BASTIAN, L. Agroindústrias Rurais Familiares e Não Familiares: Uma Análise Comparativa. Revista Redes, v. 19, nº 3, p. 51 - 73, set./dez. 2014. Disponível em: https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:dKBAlLCM4YkJ:https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/6547621.pdf+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acesso em: 02 nov. 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BEZERRA, J. A. B. Educação alimentar e nutricional: Articulação de saberes. Fortaleza, Editora UFC, 2018, 123 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.428, de 26 de novembro de 1993. Aprova, na forma dos textos anexos, o "Regulamento Técnico para Inspeção Sanitária de Alimentos", as "Diretrizes para o Estabelecimento de Boas Práticas de Produção e de Prestação de Serviços na Área de Alimentos" e o "Regulamento Técnico para o Estabelecimento de Padrão de Identidade e Qualidade (PIQ´s) para Serviços e Produtos na Área de Alimentos". Diário Oficial da União, Brasília, DF, 02 dez. 1993.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 326, de 30 de julho de 1997. Aprova o Regulamento Técnico; "Condições Higiênicos-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos". Diário Oficial da União, Brasília, DF, 01 ago. 1997a. Sessão I.

BRASIL. Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Gabinete do Ministro. Portaria nº 368, de 04 de setembro de 1997. Aprova o Regulamento Técnico sobre as Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Elaboradores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 08 set. 1997b.

BRASIL. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Gabinete do Ministro. Instrução Normativa nº 5 de 31 de março de 2000. Aprova o Regulamento Técnico para a fabricação de cachaças e vinagres, inclusive vinhos e derivados da uva e do vinho, dirigido aos estabelecimentos que especifica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 abr. 2000. p. 10.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 275, de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 06 nov. 2002. nº 215.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre regulamento técnico de Boas Práticas para serviços de alimentação. Diário Oficial da União, Poder Executivo, 16 set. 2004a.

BRASIL. Ministério da Educação. Por uma política de valorização dos trabalhadores em educação: em cena, os funcionários de escola. Brasília: MEC, SEB, 2004b.

BRASIL. Lei 11.892, de 29 de Dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação Ciências e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Seção 1, p.1, 30/12/2008. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2018.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do programa dinheiro direto na escola aos alunos da educação básica. Brasília, DF: FNDE, 2009. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos como participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana, na forma definida nesta Resolução. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 mai. 2016. Sessão I, p. 44.

CAMOZZI, A. B. Q. et al. Promoção da Alimentação Saudável na Escola: realidade ou utopia? Cadernos Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 32–37, 2015.

CASTAMAN, A. S.; HANNECKER, L. Currículo Integrado: pensando o ensino integrado nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia no Brasil. Revista de estudos e pesquisas sobre ensino tecnológico - EDUCITEC, Manaus, n. 5, 2017.

CASTAMAN, A. S.; RODRIGUES, R. A. Ensino Integrado: perspectivas e provocações. Revista Educação e Emancipação. v. 13, n. 2, Maio/Agosto de 2020, p. 134-151, 2020.

CASTAMAN, A. S.; SILVEIRA, F. R. Agroindústria: espaço educativo nos institutos federais de ensino. Revista Multidisciplinar em Educação, Porto Velho, v. 07, p. 485- 504, jan./dez., 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/4593/3315. Acesso em: 18 fev. 2021.

CONSELHO ESTADUAL DE ENSINO AGRÍCOLA DE SANTA CATARINA- CONEA. A proposta catarinense para o Ensino Técnico Agrícola no Brasil. Blumenau, 2018. 256p. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2019.

DORIGON, C. et al. As agroindústrias rurais da agricultura familiar de Santa Catarina. Florianópolis, SC: EPAGRI, 2011, 17 p.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IKEDA, S. M. A; OLIVEIRA, L. A. A contribuição da disciplina de agroindústria do curso técnico em agropecuária para o desenvolvimento das agroindústrias familiares. In: Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. Paraná: Cadernos PDE - Produções Didático-Pedagógicas, volume I, 2014, 17 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuário de 2006. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA). 2006. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/instrumentos_de_coleta/doc1131.pdf. Acesso: 27 out. 2018.

INSTITUTO DE PLANEJAMENTO E ECONOMIA AGRÍCOLA DE SANTA CATARINA - IPEA. Características e necessidades de informação na pequena agroindústria familiar: Estudo de caso em micro e pequenos empreendimentos rurais. Instituto CEPA/SC: Florianópolis, 2002, 40 p.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE. Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio. Santa Rosa do Sul, 2016. Disponível em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:http://santarosa.ifc.edu.br/. Acesso em: 27 abr. 2020.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE. Projeto Pedagógico de Curso - PROEJA FIC - Agroindústria Ensino Médio. Santa Catarina, 2017. Disponível em: http://www.camboriu.ifc.edu.br/cet/wp-content/uploads/sites/7/2017/08/PPC_PROEJA_AGROINDÚSTRIA_PRONTO.pdf. Acesso em: 27 out. 2018.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO DO SUL. Projeto Pedagógico Técnico Em Agropecuária. Andradina, 2010. Disponível em: http://www.ifms.edu.br/centrais-de-conteudo/documentos-institucionais/projetos-pedagogicos/projetos-pedagogicos-dos-cursos-tecnicos/projeto-pedagogico-do-curso-tecnico-em-agropecuaria-nova-andradina.pdf. Acesso em: 27 abr. 2020.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDO DO NORTE. Projeto Pedagógico Do Curso Técnico de Nível Médio Em Agropecuária. Natal, 2014. Disponível em: https://portal.ifrn.edu.br/ensino/cursos/cursos-tecnicos-de-nivel-medio/tecnico-integrado/tecnico-em-agropecuaria/view. Acesso em: 27 out. 2018.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. O Perfil da Agroindústria Rural no Brasil: uma análise com base nos dados do Censo Agropecuário 2006. Relatório de Pesquisa. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/130319_relatorio_perfil_agroindustria.pdf. Acesso em: 15 out. 2018.

LEAL, G. V. S. et al. Consumo alimentar e padrão de refeições de adolescentes. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 330–337, set. 2010.

MARCHI, J. F. et al. Desenvolvimento sócio-econômico das agroindústrias familiares rurais do sudoeste do Paraná. 2007, p. 107-109. In: I Seminário Sistemas de Produção Agropecuária Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos.

MINAS GERAIS. Decreto nº 45.821, de 19 de dezembro de 2011. Dispõe sobre a habilitação sanitária do agricultor familiar e do estabelecimento agroindustrial rural de pequeno porte e dá outras providências. Diário Oficial do Estado Minas Gerais, Belo Horizonte, 20 dez. 2011.

MIOR, L. C. Agricultores familiares, agroindústrias e redes de desenvolvimento rural. Chapecó: SC, Editora Argos, 2005, 338 p.

NAKAUTH, R.F. A extensão como instrumento de consolidação da formação do técnico em recursos pesqueiros. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) - Instituto de Agronomia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

OLIVEIRA, C. L. de. Um apanhado teórico-conceitual sobre a pesquisa qualitativa: tipos, técnicas e características. Revista Travessias, Cascavel, v. 2, n. 3, Ed. 4, 2008, 16 p. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/3122. Acesso em: 30 out. 2018.

PASQUALLI, R.; VIEIRA, J. A.; CASTAMAN, A. S. Produtos educacionais na formação do mestre em educação profissional e tecnológica. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, v. 4, n. 07, p. 106-120, jun. 2018. Disponível em: http://200.129.168.183/ojs_mestrado01/index.php/teste/article/view/302. Acesso em: 22 out. 2018.

PREZOTTO, L. L. A agroindustrialização de pequeno porte: higiene, qualidade e aspectos legais. Agropecuária Catarinense, Florianópolis, v. 10, n. 4, p. 8-13, 1997.

PREZOTTO, L. L. Qualidade ampla: referência para a pequena agroindústria rural inserida numa proposta de desenvolvimento regional descentralizado. In: LIMA, D. M. A.; WILKINSON, J. (Orgs.). Inovações nas tradições da agricultura familiar. Brasília: CNPq, 2002. 285 p.

ROSA, P. T. Implantação do manual de boas práticas de manipulação em cozinha pedagógica de uma instituição de ensino na cidade de Campo Mourão - PR. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação de Tecnologia de Alimentos) – Departamento Acadêmico de Alimentos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2015.

SILVA, A. M. T. B.; SUAREZ, A. P. M. S.; UMPIERRE, A. B. Produtos Educacionais: Uma Avaliação Necessária. Interacções. Lisboa No. 44, 2017, p. 232-243.

SILVA, C. E. B. Da. Educação Alimentar Na Escola - Metodologias de Abordagem nas Escolas do Ensino Básico, Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação Universidade do Porto, 2002/03. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/54764/5/67719_03-08T_TL_01_P.pdf. Acesso em: 27 out. 2018.

SILVA, E. L. da; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4 Ed. Rev. e atual. Florianópolis: UFSC, 2005. 138 p. Disponível em: https://projetos.inf.ufsc.br/arquivos/Metodologia_de_pesquisa_e_elaboracao_de_teses_e_dissertacoes_4ed.pdf. Acesso em: 10 out. 2018.

SILVEIRA, F. R.; CASTAMAN, A. S. Ensino nas agroindústrias: análise das produções. Unilus: ensino e pesquisa, v. 17, n. 26, p. 40-52, jan./mar. 2020. Disponível em: http://revista.unilus.edu.br/index.php/ruep/article/view/1242. Acesso em: 18 fev. 2021.

TAKAGI, M. et al. (Org.). Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas. Brasília, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 2012, 36 p. Disponível em: https://goo.gl/k6Yg6T>. Acesso em: 27 out. 2018.

ZAGO, D.; MURATA, A. T. Agroindústria: disciplina integrada as escolas de Educação no Campo. Acervo Digital da Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral, 2015. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/38691/R%20-%20E%20-%20DANILA%20ZAGO.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 4 nov. 2018.

ZANCUL, M. S. Orientação nutricional e alimentar dentro da escola: formação de conceitos e mudanças de comportamento. Tese (Doutorado em Ciências Nutricionais) - Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2008.

ZATTI, V. Institutos Federais de Educação: um novo paradigma em educação profissional e tecnológica? Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, SP, v. 11, n. 3, p.1461-1480, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542