UM MUSEU NA SALA DE AULA: ELEMENTOS DE HISTÓRIA E FILOSOFIA DA CIÊNCIA NA FORMAÇÃO INICIAL EM PEDAGOGIA

Giseli Duarte Bastos, Rosemar de Fátima Vestena, Lenira Maria Nunes Sepel

Resumo


A formação inicial de Pedagogos vem sofrendo críticas na Literatura quanto à preparação para atuação profissional no ensino das diferentes áreas do conhecimento, entre elas, as Ciências. De acordo com os pesquisadores, um ensino pautado em preceitos da História e da Filosofia da Ciência (HFC) corrobora com o entendimento epistemológico da Ciência, minimizando a perpetuação de visões distorcidas sobre a área. Neste trabalho, visou-se a inclusão da HFC no contexto da formação inicial em Pedagogia, em uma Instituição de Ensino Superior privada, da região central do Rio Grande do Sul (RS) – Brasil, objetivando investigar em que medida essa estratégia contribui para uma clarificação epistemológica sobre Ciência das futuras professoras. A partir da história da construção do conhecimento sobre a Reprodução Humana, foi montado um museu em sala de aula, utilizando imagens e textos dispostos em épocas históricas. Os dados, analisados à luz da Análise de Conteúdo, demonstraram que a atividade da aula-museu foi profícua para a sensibilização das futuras professoras em relação a aspectos caros à epistemologia da Ciência, podendo realocar a aprendizagem delas, e suas possíveis transposições para o ensino às crianças, em direção à superação de diversas visões distorcidas da área.


Texto completo:

PDF

Referências


ABD-EL-KHALICK, F.; LEDERMAN, N. G. Improving science teachers’conceptions of nature of science: a critical review of literature. International Journal of Science Education, Londres, v. 22, n. 7, p. 665-701, 2000. Disponível em: http://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/09500690050044044?needAccess=true. Acesso em: Ago/2019.

ALMEIDA, M. E. de. A permanente relação entre biologia, poder e guerra: o uso dual do desenvolvimento biotecnológico. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n.7, p.2255-2266, 2015.

ASTOLFI, J. P.; DEVELAY, M. A didática das ciências. Campinas, SP: Papirus Editora, 6. ed., 2001.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 9. ed., 2011.

BISPO FILHO, D de O.; MACIEL, M. D.; SEPINI, R. P.; ALONSO, Á. V. Alfabetização científica sob o enfoque da ciência, tecnologia e sociedade: implicações para a formação inicial e continuada de professores. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 12, n. 2, p.313-333, 2013.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional nº 9394, de 23 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: Jul/2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Terceira versão. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: Ago/ 2019.

BRITO, N. B. de.; REIS, U. V. dos.; TALON, I. L. M.; REIS, J. C. de O. História da física no século XIX: discutindo natureza da ciência e suas implicações para o ensino de física em sala de aula. Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 214-231, 2014. Disponível em: www.sbhc.org.br/arquivo/download?ID_ARQUIVO=1958. Acesso em: Ago/ 2019.

CACHAPUZ, A.; GIL-PÉREZ, D.; CARVALHO, A. M. P. de.; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação no ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CALOR, A. R.; SANTOS, C. M. D. Filosofia e ensino de ciências: uma convergência necessária. Ciência Hoje. N. 210, nov. 2004.

CAMPOS, M. C. da C.; NIGRO, R. G. Didática de ciências. São Paulo: FTD, 1999.

CHOAY, F. A alegria do Patrimônio. São Paulo: Estação da Liberdade: UNESP, 2006.

DELIZOICOV, N. C.; SLONGO, I. I. P. O ensino de Ciências nos anos iniciais do Ensino fundamental: elementos para uma reflexão sobre a prática pedagógica. Série-Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, Campo Grande, MS, n. 32, p. 205-221, 2011.

FOUREZ, G. Crise no Ensino de Ciências? Investigações em Ensino de Ciências. v. 8, n. 2, 2003. Disponível em: http://www.if.ufrgs.br/ienci/artigos/Artigo_ID99/v8_n2_a2003.pdf. Acesso em: Ago/2019.

GARCÍA, M. I. G.; CEREZO, J. A. L.; LÓPEZ, J. L. L. et al. Ciencia, Tecnologia y Sociedad: una introducción al estudio social de la ciencia y la tecnología. Tecnos. Madrid, 2000.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

GATTI, B. A.; NUNES, M. M. R. Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em pedagogia, língua portuguesa, matemática e ciências biológicas. São Paulo: Fundação Carlos Chagas/DPE, 2009.

GAUTHIER, C. Por uma teoria da Pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí, 1998.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL-PÉREZ, D.; MONTORO, I. F.; ALÍS, J. C.; CACHAPUZ, A.; PRAIA, J. Por uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação (Bauru). v. 7, n. 2, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v7n2/01.pdf. Acesso em: Ago/2019.

HEERDT; B.; I. de L. BATISTA. Unidade didática na formação docente: Natureza da Ciência e visibilidade de gênero na Ciência. Experiências em Ensino de Ciências, v.11, n. 2, 2016.

LEWIS, G. O papel dos Museus e o código de ética. In: Como gerir um museu: um guia. Paris/FR: ICOM/Unesco, p. 1-16, 2004.

LIBÂNEO, J. C. O ensino da Didática, das metodologias específicas e dos conteúdos específicos do ensino fundamental nos currículos dos cursos de Pedagogia. R. bras. Est. pedag., Brasília, v. 91, n. 229, p. 562-583, 2010.

LIBÂNEO, J. C. A persistente dissociação entre o conhecimento pedagógico e o conhecimento disciplinar na formação de professores: problemas e perspectivas. In: Anais. 35ª Reunião da ANPED, 2012. Disponível: http://35reuniao.anped.org.br/images/stories/trabalhos/GT04%20Trabalhos/GT04-1936_int.pdf. Acesso em: Jun/2019.

LIMA, M. E. C. C.; MAUÉS, E. Uma releitura do papel da professora das séries iniciais no desenvolvimento e aprendizagem de ciências das crianças. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 161-175, 2006. Disponível em: http://150.164.116.248/seer/index.php/ensaio/article/view/115/166. Acesso em: Ago/2019.

LONGHINI, M. D. O conhecimento do conteúdo científico e a formação do professor das séries iniciais do ensino fundamental. Investigações em Ensino de Ciências. v.13, n.2, p.241-253, 2008.

LOPES, M. M. Museu: Uma Perspectiva de Educação em Geologia. Campinas: Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICAMP, 1998.

MARAFELLI, C. M.; RODRIGUES, P. A. M.; BRANDÃO, Z. A formação profissional dos professores: um velho problema sob outro ângulo. Cad. Pesqui. [online], v.47, n.165, p.982-997, 2017.

MARANDINO, M. Museus de Ciências como Espaços de Educação In: Museus: dos Gabinetes de Curiosidades à Museologia Moderna. Belo Horizonte: Argumentum, p. 165-176, 2005.

MATTHEWS, M. Vino viejo en botellas nuevas: un problema con la epistemologia constructivista. Enseñanza de las Ciencias, v. 12, n. 1, p. 79-88, 1994. Disponível em: http://ddd.uab.cat/pub/edlc/02124521v12n1/02124521v12n1p79.pdf. Acesso em: Ago/ 2019.

MEDEIROS, A. J. G. A história da ciência e o ensino de física moderna. In: NARDI, R. (Org.). A pesquisa em ensino de ciências no Brasil: alguns recortes. São Paulo: Escrituras. 2. ed., 2007.

NASCIMENTO, V. B. do. A natureza do conhecimento científico e o ensino de ciências. In: CARVALHO, A. M. P. de. (Org.). Ensino de Ciências - unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Cengage Learning Editores, 2004.

OKI, M da. C. M.; MORADILLO, E. F de. O ensino de história da química: contribuindo para a compreensão da natureza da ciência. Ciência & Educação, v. 14, n. 1, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v14n1/05.pdf. Acesso em: Ago/2019.

OSORIO M., C. La Educación científica y tecnológica desde el enfoque en ciencia, tecnología y sociedad. Aproximaciones y experiencias para la educación secundaria. Revista Iberoamericana de Educación. N.28, 2002.

PACHECO, R. de A. O museu na sala de aula: propostas para o planejamento de visitas aos museus. Tempo e Argumento. Florianópolis, v. 4, n. 2, p. 63 – 81, 2012.

PEREIRA, M. G., LIMA, M. A. de J., e ALMEIDA, R. O. de. Concepções e percepções sobre natureza da ciência e imagem do cientista na perspectiva de estudantes da Ilha de Maré, Salvador (BA). Revista da SBenBio, n. 7, p.5742-5753, 2014.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, p. 15-34, 2000.

PIMENTA, S. G.; FUSARI, J. C.; PREDROSO, C. C. A.; PINTO, U. de A. Os cursos de licenciatura em pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educ. Pesqui, v.43.n.1, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022017000100015. Acesso em: Ago/ 2019.

PIRES, E. A. C.; SAUCEDO, K. R. R.; MALACARNE, V. Concepções sobre a natureza da Ciência de alunos concluintes do curso de Pedagogia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 16, n. 2, p. 215-230, 2017.

PIZARRO, M. V.; BARROS, R. C. dos S. N.; LOPES JUNIOR, J. Os professores dos anos iniciais e o ensino de Ciências: uma relação de empenho e desafios no contexto da implantação de Expectativas de Aprendizagem para Ciências. RBPEC. v. 16. n. 2. pp. 421-448, 2016. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/rbpec/article/viewFile/2722/2213. Acesso em: Ago/2019.

POZO J. I.; CRESPO, Á. G. A solução de problemas nas ciências da natureza. In: POZO, J. I. A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Artmed, p. 67-102, 1998.

PRAIA, J.; GIL-PÉREZ, D.; VILCHES, A.O papel da natureza da ciência na educação para a cidadania. Ciência & Educação (Bauru). v.13, n.2, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v13n2/v13n2a01.pdf. Acesso e: Ago/2019.

RAMOS, Francisco Régis Lopes. A danação do objeto: o museu no ensino de história. Chapecó: Argos, 2004.

REIS, S.; RODRIGUES, S.; SANTOS, F. Concepções sobre os cientistas em alunos do 1º ciclo do Ensino Básico: “Poções, máquinas, monstros, invenções e outras coisas malucas”. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 5, n. 1, 2006.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Almejando alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigação em Ensino de Ciências, Porto Alegre: UFRGS, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SHULMAN, L. S. Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Profesorado. Revista de Currículum y Formación de Profesorado. v.9, n.2, Granada, España, p. 1- 30, 2005.

SLONGO, I. I. P.; DELIZOICOV, D. Reprodução humana: abordagem histórica na formação dos professores de Biologia. Contrapontos. v. 3., n. 3, p. 435-447, 2003. Disponível em: https://www6.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/739/0. Acesso em: Abr/2019.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

VASCONCELOS, S.D.; SOUTO, E. O livro didático de ciências no ensino fundamental: proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Ciência & Educação, v. 9, p. 93-104, 2003.

VERASZTO, E. V.; SILVA, da D.; MIRANDA, N. A.; SIMON, F. O. Tecnologia: buscando uma definição para o conceito. Prisma.com. n. 8, 2009.

VIEIRA, V.; BIANCONI, M. L.; DIAS, M. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Ciência e Cultura. v. 57, n. 4, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista REPPE está cadastrada nos diretórios e indexada nas bases que seguem: 
DOAJ DIADORIM  Google Acadêmico    Latindex Sumarios

Licença Creative Commons
Revista Reppe está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://uenp.edu.br/reppe

 

Revista de Produtos Educacionais e Pesquisas em Ensino - REPPE - ISSN: 2526-9542